Total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

21 de Novembro de 2009 - SHOW DA JOSS STONE - HSBC ARENA


Foi a quarta vez que fui ao HSBC ARENA, e a primeira que assisti a um show do terceiro andar da arquibancada... Sabe como é, né? Verba baixa só permitiu a compra de ingresso no local mais barato. Aonde eu fiquei era tão alto que dava vertigem de olhar pra baixo.
Estava me acostumando com a altitude, quando Maria Gadú começou sua apresentação; revalação da nova MPB, com a mesma idade de Joss Stone (22 anos), mas com visual "moleque" de boné, e jeitão descolado. Com uma banda competente, e sempre sentada no banquinho com seu violão, ela ganhava a platéia com sua simpatia e talento, e falando a todo momento que estava muito feliz de estar ali, e que era muito fã da Joss. Com duas de suas músicas, “Shimalaiê" e “Tudo diferente”, tocando direto nas "Light FMs" e "Rádios de MPB", foi fácil da galera cantar junto, principalmente na homenagem a Herbert Viana em "Lanterna dos Afogados". Rolou também Chico Buarque em “A História de Lilly Braun”, primeiramente gravada por Gal Costa, onde Gadú fez jus ao original.
Com o fim do show de abertura, foram colocados os tradicionais tapetes persas no palco, já que a estrela da noite se apresenta sempre descalça, não dispensando conforto.
Com o apagar das luzes, uma banda poderosa começa a tocar os primeiros acordes de "Super Duper Love", seu primeiro sucesso do disco " The Soul Sessions", que gravou quando tinha 16 anos de idade. Platéia ansiosa, eis que surge, Joss Stone, linda num vestidinho branco, com um sorriso luminoso e cantando com sua voz de negona.

E a loirinha arrebentou mesmo! Cantando muitíssimo bem, a inglesinha mostrava estar se divertindo muito, esbanjando simpatia e charme. Tocando Soul, Funke R&B de verdade, com raízes fincadas no anos 60 e 70, fazendo um show empolgante, colocando todo mundo pra pular e dançar.
Sem dúvida, ela é a cantora nova que tem o melhor repertório, durante o show fiquei me perguntando porque não se miram no seu exemplo. Beyonce por exemplo, é uma ótima cantora e uma super dançarina, mas suas músicas são bem fracas, quando toca "Halo" no rádio eu troco de estação...
Outra de suas qualidades que ficou evidente foi a generosidade, de deixar os integrantes da sua banda brilharem, principalmente o trio vocal. Houve espaço para solos de todos eles.
No meio do show, Joss pendurou uma bandeira brasileira no pedestal de seu microfone, arrancando ainda mais aplausos.
No bis, retornou ao palco com um buquê de rosas brancas, jogadas para os fãs enquanto cantava "Big 'Ol Game".
Ficou faltando "Right To Be Wrong"; mas mesmo assim sua apresentação foi arrebatadora.
Eu já era seu admirador, e saí de lá encantado com sua voz, carisma e beleza. Sem dúvida um dos maiores talentos da sua geração.

SETLIST:
1. Super Duper Love
2. Free Me
3. Parallel Lines
4. Music
5. Put Your Hands On Me / I Got The Feeling / Baby, Baby, Baby
6. Tell Me What We're Gonna Do Now?
7. Governmentalist
8. Girlfriend on Demand
9. Stalemate
10. Fell in Love With a Boy
11. Could Have Been You
12. You Had Me
13. The Chokin' Kind
14. Incredible
15. Tell Me 'Bout It
16. Big 'Ol Game

MARIA GADÚ

2 comentários:

  1. Obrigada pela parte que me toca quanto ao seu comentário da "falta de verba" hahahahahaha

    ResponderExcluir
  2. Esqueceu do "FODA PRA CARALHO" que ela repetiu inúmeras vezes falando da Joss.

    ResponderExcluir