Total de visualizações de página

sexta-feira, 30 de julho de 2010

O OUTRO TALENTO DE RON WOOD

Ron Wood teve seu talento como músico reconhecido desde 1964, quando era guitarrista da banda britânica The Bird (não confundir com o grupo norte-americano, The Byrds). Em 1967, entrou como baixista para o Jeff Beck Group (que contava ainda com Rod Stewart nos vocais), que se separou em 1969. Wood e Stewart foram para o Small Faces, que então passou a ser chamado The Faces, aonde Ron voltou a ser guitarrista.
Quando Mick Taylor deixou os Rolling Stones em 1974, Wood foi convidado a gravar o álbum "Black and Blue", lançado em 1976, se tornando um integrante legítimo da banda.
Paralelamente aos Stones, seguia sua carreira solo, tocando com artistas como David Bowie, Eric Clapton e Aretha Franklin.
O que muita gente não sabe, é que o guitarrista é também um talentoso artista plástico, e que pinta belos quadros.
Abaixo algumas de suas obras retratando ícones da música:


John Lennon e George Harrison


Jimi Hendrix


Little Ricard e Chuck Berry


Ele mesmo ao lado de Rod Stewart



Billie Holliday e Bessy Smith


Elvis Presley



Mile Davis e Robert Johnson


Slash



Rod Stewart


Pete Towshend e Keith Moon (The Who)



Bob Dylan


Marvin Gaye e Bob Marley


Eric Clapton


Stevie Ray Vaughan


Jimi Hendrix


Mick Jagger


Keith Richard


Charlie Watts


Mick Jagger


Rolling Stones


Auto retratos

quinta-feira, 29 de julho de 2010

28 de Junho de 2010 - MORAES MOREIRA AO VIVO NO NORTE SHOPPING

Show do Moraes Moreira de graça? É claro que eu vou! A apresentação fez parte do projeto "Platéia Norte Shopping", que desde julho, leva as quartas e quintas-feiras um artista ao palco montado em frente a entrada do cinemas.
Pontualmente às 19 h, Moraes Moreira aparece sozinho com seu violão, e abre a noite com um dos maiores hinos de exaltação ao nosso país: "Canta Brasil" (de Alcir Pires Vermelho e David Nasser), que foi emendada com "É" de Gonzaguinha.
Na terceira canção, ele apresenta seu filho, Davi Moraes, que já chegou quebrando tudo na instrumental "Bilhete pra Didi", do repertório dos Novos Baianos.
É claro que a fantástica e revolucionária banda, que nos anos 70 apresentou para o grande público além de Moraes, Pepeu Gomes e Baby do Brasil, teve seus grandes sucessos como "Preta, Pretinha" e "Acabou Chorare" executados.
No canto esquerdo do palco, um rapaz muito empolgado se desdobrava em passar para libras (os famosos sinais dos surdos-mudos) versos como "Inda de lambuja tem o carneirinho, presente na boca/ Acordando toda gente, tão suave mé, que suavemente / Inda de lambuja tem o carneirinho, presente na boca / Acordando toda gente, tão suave mé, que suavemente".
Achei o volume muito baixo, poderia ser mais alto, já que a área é grande, e o público compareceu em peso. Feliz com o prestígio, Moraes Moreira manifestou sua satisfação se dirigindo ao microfone: "Nossa, que bom, tem bastante gente aqui! Estamos no templo do consumo, e todo mundo aqui consumindo música popular brasileira".
Parabenizo o Norte Shopping pela iniciativa, e espero que o projeto seja realizado por bastante tempo.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

EU NEM SABIA QUE ELE ERA CHEGADO...

A foto acima faz parte de um ensaio que Jon Bon Jovi fez em 1985 ao lado de várias mulheres semi-nuas. Pergunta que não quer calar: mas ele gosta?
Ele vinha fazendo de tudo para esconder as imagens, mas o diretor da turnê na época e responsável pelas fotos vai lançar o livro "Sex, Drugs e Bon Jovi". Ele reuniu fotos de viagens da banda e dos bastidores, que ficaram proibidas até hoje.
E a quem interessar, Bon Jovi toca em São Paulo, no Estádio do Morumbi, dia 6 de outubro, com ingressos entre R$ 600 (pista premium) e R$ 160 (arquibancada laranja).

NOWHERE BOY (O GAROTO DE LIVERPOOL) EM OUTUBRO NOS CINEMAS

Foi divulgado hoje (nesta quarta-feira, dia 28) o cartaz nacional do filme "Nowhere Boy" ("O garoto de Liverpool"), que mostra a juventude do beatle John Lennon. A estréia nacional está programada para 1º de outubro.
Dirigido por Sam Taylor-Wood, com o roteiro escrito por Matt Greenhalgh, "Nowhere boy" traz Aaron Johnson no papelde John Lennon , e Thomas Sangster como Paul McCartney.
Conta a história de Lennon como um adolescente solitário, abandonado por sua mãe e criado por uma tia autoritária (Kristin Scott Thomas).
Seu ídolo é Elvis Presley, sua válvula de escape, a música, além da arte e da amizade com Paul.
Se quiser mais detalhes, veja na postagem de outubro de 2009 que havia feito falando sobre o filme: "NOWHERE BOY", LONGA MOSTRA A INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DE JOHN LENNON

AS MÚSICAS PREFERIDAS DO ANO EM QUE NASCI

No site www.planetarei.com.br (http://www.planetarei.com.br/100anos) pode-se ver, entre outras coisas, o "Top 100" de 1904 à 2009; isso mesmo, as 100 músicas mais executadas em cada ano. Não dá pra saber a fonte utilizada, mas é bastante interessante ver o que fazia sucesso em diferentes épocas. É também triste, quando comprovamos que o mau gosto vai prevalecendo quanto mais nos aproximamos dos dias atuais...
Proponho fazermos uma brincadeira:
Vou escolher no site, as dez canções preferidas do ano em que nasci. Pra ficar bacana, proponho que cada um faça o mesmo, e deixe a sua relação nos comentários. Se por acaso você não curtir nenhuma, pelo menos coloque aquelas que você conhece.

Esse é meu Top 10:
1- Bohemian Rhapsody - Queen



2- Como Nossos Pais - Elis Regina



3- O Que Será (À Flor da Terra) - Chico Buarque & Milton Nascimento



4- Show Me The Way - Peter Frampton



5- Silly Love Songs - Paul McCartney & Wings



6- Meu Mundo e Nada Mais - Guilherme Arantes



7- Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás - Raul Seixas



8- If You Leave Me Now - Chicago



9- Juventude Transviada - Luiz Melodia



10- Coisas da Vida - Rita Lee

domingo, 25 de julho de 2010

MORRE MARCOS TATOO (PEPITO)

Hoje faleceu Marcos Tatoo, aos 51 anos, vítima de câncer, o qual lutava contra desde Setembro do ano passado, quando foi diagnosticado.
Pepito (como também era conhecido) foi artista plástico, cenógrafo e tatuador renomado. É citado em alguns livros como o primeiro tatuador do Brasil. Suas tatuagens, como podem ser vistas abaixo, são verdadeiras obras de arte.
Era um amante do Rock'n'Roll, fã de grandes bandas como Led Zeppelin, Emerson, Lake & Palmer, Rush, Yes, Kansas e Black Sabbath. Tive o prazer de conhecê-lo e de passar algumas tardes conversando, escutando músicas e vendo DVDs de música.
Vejam a reportagem do "Fantástico" da Rede Globo, de 1978, aonde Pepito é entrevistado fazendo tatuagens nas areias de Ipanema:

Quem me conhece sabe que não tenho e não pretendo ter tatoos, mas seria no mínimo ignorância da minha parte não reconhecer o valor artístico desses desenhos que marcam a pele para sempre.
Como diz Tyés, outro fera das tatoos: "A Tatuagem é a arte em que o barbarismo é perdoado pela beleza", e o trabalho do Pepito reforça essas palavras.








Sem dúvida nenhuma, essas são as três maiores e mais importantes obras-primas de Pepito:

sábado, 24 de julho de 2010

AFINAL, PAUL MCCARTNEY TOCARÁ NOVAMENTE NO BRASIL?


Parece que teremos mesmo Rock In Rio em 2011. Então aproveito para fazer um apelo para o Senhor Medina:

- POR FAVOR: PRIORIDADE MÁXIMA PRA TRAZER SIR PAUL MCCARTNEY PARA O ROCK IN RIO!

sexta-feira, 23 de julho de 2010

SETLIST DOS ÚLTIMOS SHOWS DA TURNE DO RUSH


Esse é o setlist do Show que o Rush fez hoje (23 de Julho) em Nova York no Saratoga Performing Arts Center, e é provavelmente base do repertório das apresentações do Brasil, em Outubro.

SET 1:

1-The Spirit Of Radio

2- Time Stand Still

3- Presto

4- Stick It Out

5- Workin' Them Angels

6- Leave That Thing Alone

7- Faithless

8- BU2B

9- Freewill

10- Marathon

11- Subdivisions


SET 2:

12- Tom Sawyer

13- Red Barchetta

14- YYZ

15- Limelight

16- The Camera Eye

17- Witch Hunt

18- Vital Signs

19- Caravan

20- Drum Solo

21- Closer To The Heart

22- 2112 Part I: Overture

23- 2112 Part II: The Temples Of Syrinx

24- Far Cry


BIS:
25. La Villa Strangiato

26.Working Man

quinta-feira, 22 de julho de 2010

NA MÚSICA TUDO SE COPIA...

Jake Holmes, cantor folk americano, está processando o Led Zeppelin, alegando que ele compôs a clássica canção "Dazed and confused".
Holmes fez o show de abertura da então banda de Page, Yardbirds, em um clube do Greenwich Village em agosto de 1967. Jim McCarty (baterista dos Yardbirds) contou ter ido a uma loja de discos no dia seguinte para comprar uma cópia do LP de Holmes. "Decidimos fazer uma versão", disse ele. "Trabalhamos nela juntos, com Jimmy contribuindo com os riffs de guitarra no meio". Quando os Yardbirds se separaram em 1968, Page levou a música para seu novo grupo, lançando-a no primeiro disco do Led Zeppelin. Mas, apesar da contribuição de Holmes ser frequentemente citada, Page é creditado como o único autor da faixa.
Não se sabe porque Holmes esperou mais de 40 anos para entrar com um processo por plágio. De acordo com as limitações legais, o músico de 70 anos só pode pedir royalties e indenização pelos últimos três anos. E é isso que ele está querendo conseguir. Três anos de ganhos sobre a música e indenização estatutária de US$ 150 mil por cada violação de direitos. O total pode ultrapassar US$ 1 milhão.
O única caso comprovado de plágio relacionado ao Led Zeppelin foi em "Whole Lotta Love", cuja letra foi considerada cópia de "You Need Love", de Willy Dixon. Houve uma ação judicial, vencida por Dixon, que a partir de 1985 passou a dividir a autoria da canção com Robert Plant e Jimmy Page.
Outro caso foi o de "Bring It On Home"; a primeira parte é regravação da música homônima de Willy Dixon, e a segunda parte é original de Page e Plant. Porém, não foram dados os créditos relativos à primeira parte. Esta questão foi resolvida por meio de um acordo extra-judicial entre as gravadoras.

Para provar que Plágio não é problema exclusivo do Led Zeppelin, mais 9 exemplos:



John Lennon – "Happy Wmas"

John Lennon criou uma das mais tradicionais músicas de natal de todos os tempos ao compor e lançar “Happy Christmas(War Is Over)”. A melodia é chupada de uma tradicional canção irlandesa cahamda “Stewball”, que no video abaixo é tocada pela banda The Hollies:





Deep Purple - "Black Night"

"Black Night" lançada pelo Deep Purple em 1970, tem um dos maiores e melhores riffs da história do Rock. Mas na verdade é um plágio de "We Ain’t Got Nothin’ Yet" (1967) da banda americana Blues Magoos:





Rod Stewart - "Do you think I'm sexy"

Em 1978, Rod Stewart copiou a melodia de "Taj Mahal" de Jorge Benjor (aquela do " "Tê-tetere-teretetê"), no refrão da ótima "Do Ya Think I'm Sexy?". Jorge ganhou a ação e a coautoria, mas não levou nenhum tostão, pois Rod doou os direitos da música para UNICEF.





George Harrison – "My Sweet Lord"

Harrison foi processado no seu maior hit em sua carreira solo. Os autores de "He’s So Fine", gravado pelo grupo Chiffons, reclamaram o plágio da melodia do vocal em "My Sweet Lord". Depois de longo processo judicial, George acabou com a confusão ao comprar os direitos da canção.




Nirvana - "Come As you Are"

Nirvana se "inspirou" no riff de “Eighties” do Killing Joke (do disco “Night Time”) , para criar “Come As You Are“, um dos maiores sucessos do clássico disco "Nevermind".





Vanilla Ice – "Ice Ice Baby"

Em 1990, Vanilla Ice copiou descaradamente a linha de baixo da excelente "Under Pressure", gravada por Queen e David Bowie. O rapper foi processado mas saiu vencedor, por malandramente não ter copiado todas as notas do mesmo compasso, não sendo por isso conseiderado um plágio. Freddie Mercury levou esse desgosto para o túmulo.





Beach Boys - “Surfin’ USA“

Os Beach Boys copiaram toda a música “Sweet Little Sixteen“, do Chuck Berry, para compor “Surfin’ USA“. Usando as mesmas notas, mesmas melodias vocais, e até o mesmo arranjo. Antes mesmo do processo, a banda comprou os direitos da música do Chuck Berry para evitar complicações.





Coldplay - "Viva La Vida"

Em 2008, o guitarrista Joe Satriani abriu processo contra a banda Coldplay, alegando que a música "Viva la vida" tem trechos originais substanciais de "If I could fly", canção instrumental lançada por ele em 2004.





Offspring - “Why don’t you go get a job”

Não sei é uma cópia descarada, ou se trata de uma homenagem; mas não há dúvidas de que as semlhanças entre “Why don’t you go get a job” do Offspring e "Obla Di Obla Da" dos Beatles não são mera coincidência.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

MAIS UM ANO DE ROCK'N'ROLL

É... Fazer o que? Um ano mais velho. Mais bonito, mais inteligente, mais experiente, mais sábio, mais safo, mais sofisticado, mais talentoso, e acima de tudo: mais mentiroso!

terça-feira, 20 de julho de 2010

AMIGOS

Hoje é Dia do Amigo, então fiz uma lista de amigos (inseparáveis ou não) que tinham na música um laço forte:

Tom Jobim & Vinícius de Moraes

Os dois se conheceram na zona Sul do Rio de Janeiro, e juntos criaram alguns dos maiores clássicos da música brasileira, e mundial.
O Maestro e o Poetinha eram uma espécie de almas gêmeas musicais, e tinham um ciúme mútuo na questão das parcerias musicais.








Vinícius & Toquinho

Vinícius de Moraes era mais velho que Tom Jobim, e a diferença de idade com Toquinho era maior ainda. Por isso foi com surpresa que todos conheceram o novo mais frequente parceiro do Poetinha. Toquinho, o jovem violonista e compositor, formou o casamento perfeito de suas belas harmonias e melodias com as poesias de Vinícius.



John Lennon & Paul McCartney

A admiração mútua, o amor e a amizade entre os dois era intensa e grandiosa. Se completavam musicalmente, juntos compuseram verdadeiras jóias. A gigantesca competição os forçava a cada dia compor uma melhor canção, como num desafio aonde quem saia ganhando eram os Beatles e o público.


Eric Clapton & George Harrison
A parceria musical surgiu num convite de Harrison a Clapton, a gravar a guitarra-solo em "While My Guitar Gently Weeps" do "White Album" dos Beatles, em 1967. A retribuição veio com a participação da guitarra de George na sua composição "The Badge" gravada no disco "Goodbye" (1969) do The Cream, superbanda de Eric.
A amizade cresceu, e resistiu à traições, pois Clapton se apaixonou perdidamente por Patti Harrison, esposa de George. Mas segundo o ex-beatle: "As mulheres vem e vão e as amizades são para sempre".


Pete Towshend & Eric Clapton

Afundado nas drogas e na depressão pela paixão por Patti, Eric Clapton contou com a ajuda do guitarrista e líder do The Who, Pete Towshend.
Pete praticamente salvou Eric da morte, o ajudando a sair do vício da heroína, e o trazendo de volta à musica, organizando duas noites de shows no Rainbow Theater em Londres, em Janeiro de 1973, que contou com Ronnie Wood (guitarra) , Jim Capaldi (bateria) entre outros.



Frejat & Cazuza
Um era o contraponto do outro, e nessa simbiose o Rock floresceu e deu vários frutos. As letras de Cazuza ganhavam mais peso com os riffs de Frejat, assim como a poesia de Cazuza fazia com que a guitarra bluseira de Frejat ficasse mais afiada que navalha.


Erasmo Carlos & Roberto Carlos
Amigos desde da década de 50, na Tijuca, quando também conheceram o talentosíssimo Tim Maia; Roberto e Erasmo são provavelmente a dulpa de compositores brasileira que mais emplacou sucessos. O Rei e o Tremendão dividiam fãs e seguidores na "Jovem Guarda", até Roberto partir pra carreira de canções românticas, enquanto Erasmo manteve-se fiel ao espírito Rock'n'Roll. É o exemplo de que uma amizade pode ser duradora, respeitando-se as individualidades e diferenças.


Elis Regina & Milton Nascimento
Quando Milton conheceu Elis, o compositor tratou de apresentar suas músicas para a cantora. Pra desespero de Milton, Elis não manifestava entusiasmo pra nenhuma. Depois de gastar todo seu repertório, a Pimentinha perguntou se não tinha mais nenhuma pra ele mostrar, desanimado, ele avisou que tinha só mais uma, e era "Morro Velho". Pra sua surpresa Elis adorou, e foi a primeira de muitas das composições de Milton Nascimento gravadas por ela. "Travessia", "Maria, Maria", "Nada Será Como Antes" e "Cais" são só alguns exemplos. Milton diz que até hoje todas as músicas que faz são para Elis.



Caetano Veloso & Gilberto Gil
A admiração de Caetano por Gil começou na primeira vez que ele o viu num programa de TV em salvador. De fã passou a amigo e parceiro musical. São os pais do mais original movimento musical brasileiro, a "Tropicália".


João Barone, Herbert Vianna & Bi Ribeiro
Como já havia postado em HERBERT DE PERTO (sobre o filme), queria ter amigos como João e Bi, que sempre acreditaram e ajudaram Herbert nos dificeis momentos de sua recuperação. Aliado a isso, a química impressionante que existe entre o três, que fazem dos Paralamas uma das melhores bandas da América Latina.