Total de visualizações de página

terça-feira, 6 de abril de 2010

04 de Abril de 2010 - GUNS N'ROSES NA APOTEOSE - EU FUI... OTÁRIO DE TER IDO NO SHOW...

Eu sei, com o adiamento do show por causa das fortes chuvas, eu tinha a chance de pegar o dinheiro de volta... Mas não peguei.
Eu sabia que na verdade se tratava de um show solo de Axl, e não uma apresentação do Guns N’Roses; e nem sou fã da banda.... Mas fui à Apoteose.
Nas outras 3 oportunidades em que assisti o vocalista, houve atraso de horas. Então se você me perguntar por que fui ao Sambódromo no domingo. Só posso responder uma coisa:
- Porque sou um otário!
Fomos de carro até o Shopping Nova América, e de lá usamos o Metrô. Chegamos ao local por volta das 20:15h, e deu pra conferir e conhecer um pouco da banda carioca Majestike, que começou às 20h, tocando por meia hora. Gostei principalmente das guitarras, e o som estava bom, coisa muito rara em se tratando de bandas de abertura nacionais em eventos desse tipo. Tinham comentado comigo que parecia com Evanescence, mas a única coisa que vi em comum foi o vocal feminino. Que alíás, não gostei da vocalista; não vou execrá-la porque sei que a pouca experiência e o nervosismo de estar num palco mega pra milhares de pessoas, atrapalha e muito na perfomance. Não dá pra saber se a menina estava com algum problema no retorno. Nunca ouvi nada deles antes, então não quero julgar a qualidade da cantora. Mas verdade seja dita, ela desafinou e muito, a ponto de me irritar. E como de costume a galera impaciente vaiava, e gritava "Guns! Guns!", e só conseguiram conquistar o público na última, fazendo uma cover da sensação do momento: Lady Gaga (não entendo porque tanto alarde com essa mulher).

Por volta das 21:30h, o ex-vocalista do Skid Row, Sebastian Bach (esse nome artístico é uma heresia), que participa de toda a turnê latino-americana do Guns N' Roses, e é amigo pessoal de Axl. Abrindo com "Slave to the grind", com um som horrível e mal regulado, que foi sendo melhorado, até ficar excelente na terceira música. O cara mostrou estar em boa forma, cantando com afinação e empolgação os sucessos de sua antiga banda como "Monkey business", "Big guns" e as baladas "18 and life" e "In a darkened room", além de canções de seu disco solo lançado em 2007, "Angel down", e uma versão para o clássico "Back in the saddle", do Aerosmith. Parte da platéia ensaiou um "Parabéns a Você", já que o moço completou 42 anos na véspera. Tenho que admitir que fui fã de Skid Row na adolescência, e foi bacana ouvir coisas como "I Remember You". Outro ponto a favor foi a qualidade dos músicos da banda que o acompanharam, principalmente o baterista Bobby Jarzombek. O cara é fera, pegada forte e bumbo duplo marcante, e era merecidamente saudado a todo hora por Sebastian que pedia pro público gritar "Bobby! Bobby!". Além disso, lia várias frases em portugûês; mas teve como ponto contra: o excesso de pedidos de coros de "Guns And Rose! Guns N"Roses!" que fazia, pra conquistar os fãs de Axl, e pra fazer um pouco de média. É verdade que mais de 90% das pessoas não vieram para vê-lo, mas ele tem talento, peso e sucessos suficientes pra não precisar de tanta apelação.
A apresentação de Sebastian Bach durou pouco mais de uma hora, e antes das 23:00h, a equipe da atração principal já estava com tudo pronto a espera de Axl, e parte deles se ajeitaram pra tirar um ronco, como no flagra da foto abaixo, que tirei:

Mas Axl, tinha que sacanear os cariocas, como fez com os paulistas, mineiros, e brasilienses. Com mais de duas horas e meia de espera, e muita gente revoltada, xingando e tacando latas na equipe, que jogava de volta pro público, num príncípio de confusão. Já passava de uma da manhã, quando finalmente o novo Guns N´Roses inicia a apresentação. Alguns ainda vaiavam e outros faziam corinhos ofendendo a progenitora de Axl, mas a maioria deu uma de mulher de malandro, entrando em delírio e aplaudindo com os primeiros acordes de "Chinese Democracy".
Axl Rose colocou todos no bolso com "Welcome to The Jungle". E dominou geral ao tocar mais duas do seu melhor disco "Appetite for destruction" (de 1987): "It's so easy" e "Mr. Brownstone".
Assim como em 2001, Axl montou um grupo de excelentes músicos, com destaques pros 3 guitarristas. Ron Bumblefoot é o mais técnico, com uma guitarra de dois braços (com um deles fretless, sem trastes), ele ficava com as partes mais complicadas dos solos. Richard Fortus, de visual Emo, geralmente fazia as bases, mas quando exigido, mostrava eficiencia solando.
O mais novo na banda, DJ Ashba foi com certeza contratado para ser o "Slash Cover", tocando a maioria dos solos; e imitando seu antecessor mais famoso discaradamente na postura de palco, no modo de ficar com as pernas dobradas, no modelo e cor de guitarra Gison, e até mesmo no visual: cartola e cigarro no canto da boca. Achei no mínimo desnecessário, mas os fãs pareceram adorar tudo isso.
Por falar em visual, Axl já teve momentos melhores. Visivelmente inchado, principalmente o rosto, e com um bigode à James Hetfield. Usou chapéu quase o tempo todo, e quando estava sem, usava uma espécie de bandana, provavelmente pra esconder uma calvície.
Os três guitarristas tiveram seus momentos solos. Fortus solou o tema de James Bond, que precedeu "Live and Let Die", que na versão original de Paul McCartney foi trilha sonora de "Com 007, Viva e Deixe Morrer" de 1973. Bumblefoot tocou o famoso "Tema da Pantera Cor de Rosa" de Henry Mancini. O tecladista Dizzy Reed, que toca a vinte anos com Axl, também teve direito a seu solo de piano, que achei bem fraco. É claro que isso tudo não servia apenas pra ilustrar o show, ou mostrar a qualidade dos músicos; o motivo real era dar a possibilidade do vocalista descansar a voz.
O som que começou ruim na primeira música, ficou perfeito já na segunda, um dos melhores que presenciei na Apoteose. A voz de Axl Rose ficava clara e potente nas canções novas como "Sorry" e "Better Play", mas nitidamente ele se guardava e cantava mais baixo nas mais conhecidas, provavelmente por saber que nessas todo mundo iria cantar junto, e que nas do disco novo todos estariam prestando mais atenção.
Luzes, explosões e efeitos também foram destaque. No centro do palco havia um telão, com mais quatro telões verticais, que também eram usados em efeitos. Se somavam a estes mais dois laterais, que mostravam imagens muito bem captadas pelas câmeras.
Axl Rose sabe mesmo escolher covers, além da já citada "Live and let Die" e de "Knockin' On Heaven's Door" já gravadas pelo Guns N'Roses, foram tocadas no show "Another Brick In The Wall - Part II" do Pink Floyd", e a surpresa da noite "Whole Lotta Rosie" do AC/DC.
O repertório foi bacana, ficaram de fora alguns sucessos radiofônicos como "Civil War", "Don’t Cry" e "Used to Love Her", mas acho que não fizeram falta. Mas pra mim faltou "My Michelle" que foi tocada nos outros shows do Brasil, mas foi deixada de fora no Rio.
Fecharam com o rockão "Paradise City" com direito a fogos de artifício e chuva de papel picado, terminando o show por volta das três e meia da madrugada.
A apresentação não foi ruim, mas a palhaçada de Mr.Rose em atrasar a sua entrada, deixou a todos exausto, e com certeza muita gente foi embora antes do fim, e o público total do show de Sebastian Bach foi bem maior que o da atração principal.
Na volta, encontramos o Metrô fechado, fomos obrigados a pegar um taxi até o Nova América, e contamos com a boa vontade do segurança em abrir o estacionamento pra pegarmos o carro.
Tudo por causa do estrelismo e da falta de profissionalismo de um artista em total decadência. Na verdade a culpa foi minha de ter sido otário de ter pago pra ver esse garoto Mimado e rebelde sem causa.

SETLIST:
1. Chinese Democracy
2. Welcome To The Jungle
3. It's So Easy
4. Mr. Brownstone
5. Sorry
6. Better Play
7. Richard Fortus Guitar Solo (Tema de "OO7")
8. Live And Let Die (Paul McCartney cover)
9. This I Love
10. Rocket Queen
11. Dizzy Reed Piano Solo
12. Street Of Dreams
13. You Could Be Mine
14. DJ Ashba Guitar Solo (Ballad Of Death)
15. Sweet Child O' Mine
16. Another Brick In The Wall - Part II(Pink Floyd Cover)
17. November Rain
18. Bumblefoot Guitar Solo (Pink Panther Theme)
19. Knockin' On Heaven's Door (Bob Dylan cover)
20. Nightrain
BIS:
21. Madagascar
22. Instrumental Jam
23. Whole Lotta Rosie (AC/DC cover)
24. Patience
25. Paradise City

4 comentários:

  1. Nossa, quanta acidez! rsrs. Eu bem que avisei pra pegarmos o $$ de volta, foi vc que não quis, tá lembrado??

    Encare como uma aventura! rs. Horas mofando esperando aquele FDP entrar no palco, o metrô fechado, eu tendo que usar meu charme letal pra conseguir um taxi pra 6 cabeças, a boa vontade do segurança... Tudo em prol de curar o trauma de infância desta pessoa que vos fala e tb fazer as crianças que foram ao show felizes!

    Agora eu sei que nunca mais quero ver aquele feioso ao vivo na minha vida! Valeu a experiência =)

    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. É Mell, foi uma verdadeira aventura.
    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Passei o show todo num mau humor horroroso, mas hj me arrependi de não ter aproveitado. Ele errou mto em ter atrasado, mas não foi surpresa pra ng, já que ele atrasou tb nos outros shows. Como a Mel disse, tb fui pra curar um trauma de infância, mas voltei de lá mais traumatizada ainda. Será que terei 2ª chance? Rsrsrs
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Oi Fernanda,
    com certeza vc terá outra chance, pq Mr Axl Rose voltará pra arrancar mais dinheiro dos brasileiros, e fazer muita gente de palhaço, com seus atrasos, e derespeitos.
    Muito obrigado pelo comentário e pela visitinha.
    Volte sempre
    Beijão

    ResponderExcluir