Total de visualizações de página

quinta-feira, 3 de maio de 2012

A SAGA DE UMA FÃ DESESPERADA PARA VER PAUL MCCARTNEY CONTINUA, AGORA EM FLORIPA - Por Maysa C.V.

Maysa Valaska continua a contar sua saga en busca do Beatle perdido. Dessa vez a mocinha foi pra Floripa, com a cara e a coragem. Senta que lá vem a história:
Bom, conforme contei no post anterior, cheguei em São Paulo segunda à noite. Exausta! Mas como coração transbordando de alegria. Incrível o bem que Sir Paul McCartney me faz... Fui dormir pensando “quarta tem outro show, outro show, outro show...”. Não, pensar que ele sempre faz shows nos mais diversos lugares e eu nunca estou presente não adiantou. Acordei na terça, direto para o computador (só para constar, eu trabalho, tirei 10 dias de férias justamente para ir aos shows). Pesquisei passagem de avião (sim, eu acredito em milagres), mas em vão. Passagem de Ônibus, mais de R$ 160,00 (oi???), pois as que encontrei de R$ 90 já estavam esgotadas. Pensei “se for, dessa vez preciso de um cartaz bonito, Paul e sua equipe precisam ver!”. Algo criativo, bonito que chame a atenção... não, não sou criativa... e agora, quem poderá me ajudar? Quem seria criativo e paciente a ponto de criar algo em tão pouco tempo??? Sim, meu amigo do Rio, o Gustavo, fez um cartaz lindo, algo impensável!!! Na dúvida (não sabia se daria tempo), fiz o meu também, não tão lindo, mas com certeza com o mesmo amor. Cheguei na rodoviária do Tietê (após revelar fotos, imprimir banner, fazer cartaz e malas) às 22h. Não tinha mais passagens para Florianópolis. Calma, consegui comprar de uma empresa que tinha horário pára às 22h15 e era mais barata: R$ 96,00. Yes!!! Tempo estimado: 11h. Cálculo rápido: chegada: 09h30. Perfeito!!! Detalhe: eu não tinha ingresso e não tinha DINHEIRO para comprar... Depois de horas de congestionamento e 13 horas de viagem: amada Floripa, Ilha da Magia sua linda, cheguei!!! Dei muita sorte, não tive “colega” de assento, tudo meu!!! (só quem sabe o que é viajar horas com alguém tomando conta do encosto de braço e parte do seu espaço, entende minha alegria). Terminal de Ônibus e linha especial até o estádio da Ressacada. Chegando lá, fui encontrando os colegas e amigos. Todos eufóricos com o show. Como sempre, alguns com esperança nos olhos tentando me ajudar de alguma forma (nem que fosse com boas vibrações) outros dizendo que eu era louca e perguntando como iria conseguir (se eu soubesse a resposta, já estaria com o ingresso). Bilheteria, pista Premium: R$ 720,00 (puxa, abaixou R$ 40,00, agora sim!!!). Sem chance... Falei com dezenas de pessoas, procurei tudo quanto foi funcionário da produção e da RBS à procura de um ingresso (afinal, estavam distribuindo em Recife, achei qie seria relativamente fácil). Uma das moças da produção, me deu um forte abraço e disse que infelizmente ela não tinha como me ajudar, mas estava torcendo por mim. Desolada, parei para pensar, encontrei uma amiga querida de São Paulo, que olhou nos meus olhos e disse: fica calma, você vai conseguir. Nesse meio tempo, o Paul chegou, muito simpático e atencioso como sempre, acenou, subiu na grade, apontou e fez “joinha” para o meu cartaz. Uhuuuuuuuuuu!!! Ah, ganhei tchauzinho da Nancy também.
 
Avistei uma pessoa muito respeitada da equipe de Paul McCartney, e resolvi falar com ele (afinal, eu tinha falado com ele em Recife). E nervosa com meu pobre inglês, perguntei se ele lembrava de mim de Recife. Ele respondeu que sim (na verdade, a resposta foi bem mais gentil, mas vou omitir os detalhes). Expliquei que saí de São Paulo sem ingresso, que viajei 13 horas e que estava ali, para ver Paul McCartney. Ele disse que eu era louca, e perguntou se eu estava só. Disse que sim, e ele pediu que eu o aguardasse naquele mesmo lugar às 19h. às 18h40 eu já estava lá. 19h, 19h05h, 19h20... nada. Sorte minha, que ao contrário da maioria das pessoas que trabalharam no show de Florianópolis, as pessoas que estavam no portão eram amáveis e educadas. A ponto de me acalmar e conversar com outros funcionários que passavam pelo local. (Sabe a moça que citei acima? Fiquei sabendo que ela estava preocupada comigo e que até chorou com minha história e mesmo longe dos meus olhos, tentou me ajudar). Um dos seguranças, muito gentil, entrou e falou com a pessoa que eu aguardava (meu medo não era ele não cumprir o prometido, mas sim estar atarefado e esquecer de me buscar). Ele pediu para eu aguardar, que já vinha me buscar. Demorou uma eternidade... nesse meio tempo, apareceu outro funcionário da produção, me mediu e olhou fixamente para meu cartaz. Rispidamente, perguntou o que eu queria. Expliquei que eu estava aguardando o fulano ali. Ele começou a gritar comigo e disse que ali eu não podia ficar. Eu disse que foi ali que ele marcou. Ele disse que era para eu esperar do outro lado da rua que a pessoa iria me buscar lá. Quando ele estava quase me pegando pelo braço, a pessoa apareceu. Aí, o Sr truculento sorriu, e disse “ah, olha aí ele, pronto, agora está tudo resolvido...”. Ai, que covarde!!! Bom... CONSEGUI ENTRAR!!! Entrei por trás do palco (o que foi outro presente, ver como é). Ele brincou comigo e com a equipe, e perguntei se podia e me despedir com um forte abraço. Ao chegar ma pista, me posicionei na grade, perto do telão. Expectativa. Eu muito imbecil, minutos antes de começar o show, desembrulhei um dos cartazes, pois achei que não ia chover. E estava certa, não choveu, Caiu um dilúvio!!! E daí? Com o homem mais lindo do mundo na minha frente, quem liga???

Que show! Gente, parece que ele fica mais animado quando chove, sério! Senti isso em São Paulo, segundo dia. Parece que ele tem que demonstrar toda a gratidão por nós estarmos lá, debaixo de chuva por ele. Aí, como se não bastasse todo charme e simpatia, ele toca “Ram on” (pedido feito por uma pessoa com uma plaquinha na pista), “Hope of Deliverance” e “Birthday”. Também cantou parte de “Yellow Submarine”. Agora me diz: o que são essas duas primeiras ao vivo??? Achei que estava sonhando... O pessoal de Floripa estava bem animado e ansioso. Eu conheci muita gente que era de lá, e estava pela primeira vez num show do Paul (sim, isso é algo realmente inesquecível). Um frio, da mão ficar roxa! E um calor humano... Paul disse que era a ultima noite na América Latina, então precisava se divertir muito (ta, foi quase isso que ele disse, não me lembro das palavras exatas). E olha, nem precisava pedir, foi o que mais fizemos. Já disse que ele estava lindo? Bom, eu achei que o pessoal da organização estava mal preparado. Em geral, eram extremamente ríspidos e mal informados. Se teve alguma ordem, agradeça aos fãs, não à organização. Sobre as homenagens, repito a mesma impressão (de que “as homenagens não surtiram tanto efeito, difícil superar os balões brancos de São Paulo, onde ele se emocionou e chegou a dizer que foi o melhor show da turnê e um dos melhores da carreira) e os "NaNANa´s" do Rio de Janeiro, que foi realmente surpreendente! É claro que ele gostou, mas não foi tudo isso), mas devo destacar a homenagem feita em “Here Today”, onde foram erguidas fotos de John Lennon (só não ficou melhor, pois barraram muitas fotos e cartazes na entrada e a chuva acabou estragando um pouco o material). Foi o show mais longo de Paul McCartney, e para muitos, o melhor dos três até então. Na saída, foi um caos, infelizmente a cidade não estava preparada para um evento desse porte, e quem nunca teve a oportunidade de visitar a linda Ilha da Magia, saiu de lá com a pior das impressões da cidade. Uma pena. Sugiro que volte e conheça a ilha, um dos locais mais bonitos que já visitei.
Pelo que perceberam, minha ida não foi nada fácil (e estarei, literalmente pagando por isso pelos próximos meses) e passei por várias coisas desagradáveis nos dias que antecederam aos shows, mas queria destacar o lado positivo. Assim que cheguei na Premium em Floripa, uma moça muito bonita e gentil veio falar comigo. Depois me apresentou o marido. Era Catarina e Matias. Que casal lindo! Sério, quero eles pra minha vida toda! Me contaram dos outros shows, vi a foto do bebê lindo deles (graças a eles, tenho o ingresso para guardar de recordação). Eles foram meu presente de Floripa. A Alice é de São Paulo, mas conheci no show de Recife, foi meu outro presente. Essa eu converso via facebook diariamente, já era, não sai da minha vida mais. Com eles eu ri, chorei, me diverti, compartilhei minha alegria. Eles me ajudaram física, emocional e economicamente. Eu digo que Paul sempre me traz presentes. Esses que citei foram meus presentinhos “on the run”. Deus me fez ver que sim, pessoas podem ser bonitas por dentro e por fora e amáveis com o próximo. E Ele materializou isso na forma de Catarina, Matias e Alice. O que vocês fizeram por mim, eu jamais vou esquecer.

Paul me faz mais feliz, e mais forte. Me orgulho de ser fã dele, de ser fã de alguém como ele. Eu passei a acreditar nos meus sonhos. Não me importo se acham isso ou aquilo de mim. Faria tudo de novo. É continuar trabalhando, lutando e realizando sonhos. Eu estou chegando perto... (em tempo: como minhas fotos de Florianópolis foram poucas e não ficaram boas, peguei de alguns amigos e da internet. Agradecimentos especiais: Paul.in.Brazil, Bruno Sky, Hylea Ferreira).
SETLIST FLORIPA:
Magical Mystery Tour
Junior's Farm
All My Loving
 Jet
 Drive My Car
Sing the Changes
The Night Before
 Let Me Roll It / Foxy Lady
 Paperback Writer
 The Long and Winding Road
 Nineteen Hundred and Eighty-Five
 My Valentine
 Maybe I'm Amazed
 I've Just Seen a Face
 Hope of Deliverance
 And I Love Her
 Blackbird
 Here Today
 Dance Tonight
 Mrs. Vandebilt
 Eleanor Rigby
 Ram On
 Something
 Yellow Submarine
 Band on the Run
 Ob-La-Di, Ob-La-Da
Back in the U.S.S.R.
 I've Got a Feeling
 A Day in the Life / Give Peace a Chance
Let It Be
 Live and Let Die
Hey Jude

 Bis:
Lady Madonna
Day Tripper
 Get Back

 Bis 2:
Yesterday
Birthday
I Saw Her Standing There
 Golden Slumbers / Carry That Weight /The End

5 comentários:

  1. História incrível... conheci a Maysa na fila, ainda sem saber seu rumo naquela noite, ao invés de se desesperar ou pensar em si própria, ela ficou ajudando a distribuir o material das nossas frustadas homenagens!
    Mas todo esforço valeu a pena! Sir Paul faz isso nas pessoas! Nos mostra que podemos mais do que achamos e que somos melhores do que pensamos ser! História linda!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Hylea,
      a música de Paul e dos Beatles tb tem esse efeito em mim.
      Vc descreveu muito bem.
      Bjo

      Excluir
  2. Lembra do que eu disse? Sabia que você ia conseguir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel,
      também não tinha dúvidas de que ela conseguiria

      Excluir
  3. Continuo achando que esta moça preciiiiiiiiiiiisa de um companheiro! kkkk

    ResponderExcluir