Total de visualizações de página

domingo, 30 de dezembro de 2012

STEVIE WONDER E GILBERTO GIL NA PRAIA DE COPACABANA - E Eu Vendo no Sofá da Sala...

Primeiro fiquei assustado com o preço do ingresso do show no Imperator - R$800,00 a inteira, fora a taxa de inconveniência. Fiquei pensando se valia a pena... Pô, mas é beneficente, né? Pra ajudar a Fundação Viva Cazuza. Então resolvi comprar. Mas no tempo que usei pra pensar, os ingressos se esgotaram.
Ah! Mas o de Copacabana eu não perco de jeito nenhum... Afinal alguns amigos confirmaram presença, meu irmão disse que também iria, e tinha certeza que a Mell também estava amarradona pra ir.
Mas depois da ceia de Natal, quando acordei a realidade era outra. A Mell já foi avisando que em nenhum momento tinha dito que iria; meus amigos deram as mais diferente desculpas; e meu irmão alegou estar passando mal.
"Então não quero nem saber. Vou sozinho nessa M...!". Mas fui pensando nos perrengues que ia ter que encarar sem nenhuma companhia: o trajeto de ônibus ida e volta JPAxCopa; as horas de espera; o calor; o possível tumulto; e o bico da patroa no dia seguinte.
Com tudo isso, desisti de ir, e passei o dia emburrado igual criança que acordou no Natal e ganhou o presente errado do Papai Noel. Meu mau humor era latente e fui ficando mais azedo com o final do dia.
O jeito foi ligar no Multishow pra ver Gilberto Gil e Stevie Wonder pela televisão, já que o canal prometia transmissão ao vivo.
A transmissão da apresentação de Gilberto Gil não foi ao vivo, e começou às 21h, ou seja, com uma hora de atraso. Mas foi exibida na íntegra. E justiça seja feita, o som estava porreta: muito bem regulado, perfeito.
Gil é um dos mestres da MPB, e possui larga experiência em grandes shows, desde sua participação na primeira edição do Rock In Rio. Montou um setlist só com músicas dançantes, usando o que de mais Pop há em sua carreira.
Abriu o show com "Realce", já colocando todo mundo pra dançar. Aí foi enfileirando hits: "A Novidade (sua  parceria com os Paralamas), "Não chore mais" (sua versão para "No Woman, No Cry" de Bob Marley), "Domingo no Parque", "Aquele Abraço", " Esperando na Janela", "Vamos Fugir", e "Nos Barracos da Cidade".
O baiano aproveitou para prestar suas homenagens. O primeiro foi Bob Marley em "Is this love". Depois foi a vez da praia onde o palco foi montado, quando Gilberto Gil apresentou uma versão Reggae para o clássico da Bossa Nova "Copacabana" (de Alberto Ribeiro, Braguinha e Jack Lawrence).
Dona Canô, mãe de Caetano Veloso e Maria Bethânia, que morreu na manhã de Natal, aos 105 anos, também foi lembrada. Pra ela, cantou "Marinheiro Só".de Dorival Caymmi.
"Preta Pretinha", clássico dos Novos Baianos serviu pra chamar ao palco a filha Preta Gil, que foi responsável pelo "momento a ser esquecido" da noite: ela cantou com o pai a tenebrosa "Meu corpo quer você".
O destaque da apresentação foi o baixista Arthur Maia, verdadeiro monstro, que na introdução de "Palco" fez um belíssimo solo.
Gil foi obrigado a voltar, devido ao insistente coro da platéia. E no o Bis mandou "Toda Menina Baiana", que encerrou o showzaço.
Gilberto Gil é um dos gênios da música mundial. Mas ele mesmo se rende ao talento magistral de Stevie Wonder, e se coloca no papel de coadjuvante. E não tem nada daquela história de brasileiro com complexo de inferioridade que se subjulga aos gringos. Independente de nacionalidade, Gil sabe que Wonder transpira música por todos os poros, e que ao lado de Paul McCartney, é o maior artista vivo. Como meu irmão definiu bem: "Stevie Wonder é uma das provas da existência de Deus. Porque só mesmo Ele poderia ser capaz de criar uma criatura dessa, com esse dom tão especial".
Assim, Gil sabe do tamanho do privilégio de poder fazer essa parceria musical e de poder usufruir da amizade com um dos maiores pilares da música negra.
Acho que dessa vez Gilberto Gil deve ter feito de tudo para conter o entusiasmo para não repetir o gesto feito em 1995, no FreeJazz, quando dividiram o palco pela primeira vez, e o brasileiro durante a apresentação se ajoelhou em condolência ao americano e em agradecimento aos céus pela honraria. Na época boa parte da Imprensa condenou a atitude de Gil, alegando que um artista com sua representatividade e importância não podia se sujeitar a uma humilhação dessas.
Pura bobagem! Todo mundo possui seus ídolos, e tem o direito sagrado de prestar tributos a eles. Isso inclusive é uma forma de expressar a gratidão pela inspiração que essas figuras proporcionam a seus fãs.
Com cerca de 20 minutos de atraso, Stevie Wonder entra no palco ao lado dos dois filhos mais novos, que vestiam gorro de Papai Noel, e da primogênita Aisha. "Tudo bem? Quero dar um feliz Natal para todos vocês e agradecer pelo convite. É a primeira vez que passo o Natal no Brasil e está sendo maravilhoso", disse o astro, que ainda pediu para o público dar um feliz Natal para seu filho Miles, que ficou nos Estados Unidos.
Wonder abriu sua apresentação com "What a Wonderful World This Would Be", clássico de Sam Cooke. A canção acabou tendo uma longa duração, porque Stevie Wonder a usou para tentar interagir com a cerca de 450 mil pessoas que o aguardavam. Talvez por ser cego, ele precise buscar esse contato com o público, já que essa é a forma que o músico tem para fazer essa ponte entre o palco e a platéia. Esse tom participativo que ele buscou desde o primeiro número, regendo vozes, pedindo palmas, acabou sendo interpretada por muitos como enrolação.
Foi questão de tempo para Stevie colocar todo mundo no bolso, exibindo sua coleção de hits, e transformando a praia de Copacabana numa enorme pista de dança. Wonder também lembrou dois mestres da música: Michael Jackson em "The Way You Make Me Feel", e Bob Marley em "Waiting In Vain".
Depois das belíssimas baladas "The Secret Life of Plants" e "Ribbon In The Sky" que provocaram lágrimas aos mais sensíveis, Wonder tocou "Garota de Ipanema" para novamente empolgar os cariocas, com seu solo magistral de harmônica.
Gilberto Gil foi chamado ao palco por Wonder, que logo de cara puxou um trecho de "Você Abusou" de Antonio Carlos & Jocafi. Juntos cantaram "I Just Called To Say I Love You", com direito a versão em português, com o refrão entoado por centenas de milhares de vozes. A dupla cantou o clássico jobiniano "Samba de Uma Nota Só", afinal o cenário do show era perfieto para se tocar Bossa Nova.
Na sequência Stevie puxou a linda e suingada "You Are the Sunshine of My Life", e um trechinho de "We Are The World",
Aproveitando a data, Gil e Wonder interpretaram "Silent Night"/ "Noite Feliz". Depois o brasileiro cantou a composição natalina "Boas Festas" de Assis Valente, com direito a versão em inglês.
Stevie Wonder mostrou ser um verdadeiro fenômeno, com sua voz impecável, e com alcance inimaginável para uma pessoa com seus 62 anos de idade. Tanto no piano, quanto nos teclados e na harmônica exibiu habilidade e técnica perfeita. E ainda tirou onda em um instrumento que eu nunca tinha visto; uma espécie de tela em que ele desliza os dedos, fazendo acordes e realizando solos, tirando um som semelhante a uma guitarra distorcida.
Sem nenhum medo e pudor, ele improvisava, criando novas melodias e mudando o andamento das canções. Sua banda formada só por feras, seguia o chefe e entrava na onda automaticamente, como se os músicos  fossem guiados telepaticamente.
No final do show, Stevie mais uma vez brincou com o público: "Eu sei que vocês querem ir embora, mas nós vamos fazer festa até 2069, está bem?". Com o filho mais velho na bateria eletrônica e o caçula na percussão, Wonder tocou um dos seus maiores clássicos: "Superstition".
Ele se despediu dizendo que pretende voltar ao Rio em 2013. Sua intenção é fazer um show beneficente para arrecadar brinquedos para as crianças no Natal similar o que ele já faz anualmente nos Estados Unidos há 17 anos. Acho que vou pedir  de presente ao Papai Noel que ele garanta que Stevie Wonder cumpra essa sua promessa...
SETLIST - GILBERTO GIL:
1- Realce
2- A Novidade
3- Não Chore Mais (No Woman No Cry)
4- Is This Love
5- Copacabana
6- Domingo no Parque
7- Aquele Abraço
8- Marinheiro Só
9- Andar Com Fé
10- Preta Pretinha
11- Meu Corpo Quer Você (com Preta Gil)
12- Esperando na Janela
13- Palco
14- Vamos Fugir
15- Nos Barracos da Cidade

Bis:
16-Toda Menina Baiana


SETLIST - STEVIE WONDER:
1- What a Wonderful World This Would Be
2- Bird of Beauty
3- Master Blaster (Jammin')
4- Higher Ground
5- The Way You Make Me Feel
6- Waiting in Vain
7- Mary christmas Baby
8- The Christmas Song
9- Don't You Worry 'bout a Thing
10- The Secret Life of Plants
11- Ribbon In The Sky
12- Garota de Ipanema
13-  Sir Duke
14- If You Really Love Me
15- Never Dreamed You'd Leave in Summer
16- Signed, Sealed, Delivered
17- Você Abusou (trecho) (com Gilberto Gil)
18- I Just called To Say I Love You (com Gilberto Gil)
19- Samba de uma nota só (com Gilberto Gil)
20- You Are the Sunshine of My Life
21- We Are The World (trecho)
22- Silent Night/ Noite Feliz (com Gilberto Gil)
23-  Boas Festas (com Gilberto Gil)
24- My Cherie Amour
25- Sweetest Somebody I Know
26- Superstition
27- This Christmas
28- Another Star


5 comentários:

  1. Adorei o seu texto e não quis ir ao show por ter que trabalhar no outro dia e acabei esquecendo de ver na tv.Tomara que ele venha mesmo de novo.Vamos aguardar!

    ResponderExcluir
  2. Oi Luigi,
    obrigado pelo elogio.
    ter trabalho no dia seguinte tb foi um motivo da minha desistencia.
    vamos torcer e aguardar pra termos mais Stevie Wonder por aqui.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  3. Gostei do post. Lendo, quase vi o show.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alexandre,
      fiquei muito feliz em ler seu comentário, pq é justamente essa sensação que eu busco quando escrevo a resenha de um show.
      Grande abraço

      Excluir
  4. Você devia ter ido sozinho.
    Mas que bom que, pelo menos, viu pela TV.
    E resenhou como se estivesse lá...
    Parabéns!

    ResponderExcluir