Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Morre o grande compositor Zé Rodrix


Faleceu na madrugada desta sexta-feira, 22, o cantor e compositor Zé Rodrix, de 61 anos, em São Paulo. A causa da morte ainda não foi divulgada. O músico sentiu-se mal e, por volta da meia-noite, foi levado para o Hospital das Clínicas. Faleceu poucos minutos depois de ter chegado à unidade médica, às 00h45, segundo informou a assessoria de imprensa do hospital. O cantor e compositor deixa mulher, além de seis filhos e dois netos.
Multi-instrumentista (piano, acordeom, flauta, bateria, saxofone e trompete), compositor de jingles e publicitário, Rodrix estudou no Conservatório Brasileiro de Música e na escola Nacional de Música, onde aprendeu teoria musical, harmonia e contraponto.
Com o nome artísitico de Zé Rodrix, José Rodrigues Trindade cantou para um grande público pela primeira vez em 1967, participando do Festival de Música Brasileira da TV Record, acompanhado de Marília Medalha, Edu Lobo e o Quarteto Novo, com a canção "Ponteio".
Nos anos 70, integrou o progressivo Som Imaginário — banda criada para acompanhar uma turnê de Milton Nascimento, mas que depois seguiu carreira; mas continuou compondo. "Casa no Campo", composição sua e do músico Tavito, ganhou o Festival de Juiz de Fora, em 1971, e fez muito sucesso na voz de Elis Regina. Outros grandes sucessos seus foram "Soy Latino Americano" e "Mestre Jonas”.
Ao lado de Sá e Guarabyra, Rodrix se consagrou como um dos ícones do chamado "rock rural", estilo musical que juntou, nos anos 70, música caipira, folk americano, rock progressivo e ecos do movimento hippie.. Os músicos foram responsáveis por um famoso jingle da Pepsi na década de 1970, conhecido pela estrofe "só tem amor quem tem amor pra dar".
Também atuou no revolucionário e bem humorado grupo Joelho de Porco. Depois, entre os anos 80 e 90, Zé Rodrix deixou a música e começou a trabalhar com publicidade.
Em 1999 lançou o livro "Diário de um Construtor do Templo" (1999). No início dos anos 2000, o músico causou polêmica ao revelar, em uma entrevista, que era maçom. Zé Rodrix chegou a lançar uma trilogia de livros sobre a maçonaria.
O cantor retornou aos palcos em 2001, quando ao lado dos parceiros Sá e Guarabira, fez uma apresentação do Rock in Rio III. Os três ainda produziram um DVD ao vivo "Sá, Rodrix & Guarabyra: Outra Vez Na Estrada - Ao Vivo", com os seus maiores sucessos, também em 2001.
Um dos últimos eventos de Rodrix na cidade do Rio de Janeiro foi o “Rock Rural”, que aconteceu em abril e maio de 2009 no CCBB-RJ:


Sem dúvida a música e a arte perdem um grande nome. Músico, compositor, arranjador, poeta, publicitário, escritor.


Veja a discografia de Zé Rodrix
1968: Momento Quatro - com Momento Quatro
1970: Som Imaginário - com Som Imaginário
1971: Passado, Presente & Futuro - com Sá, Rodrix e Guarabyra
1973: Terra - com Sá, Rodrix e Guarabyra
1973: I Acto
1974: Quem Sabe Sabe Quem Não Sabe Não Precisa Saber
1976: Soy Latino Americano
1976: O Esquadrão da Morte - Trilha Sonora do Filme
1977: Quando Será?
1979: Hora Extra
1979: Sempre Livre
1983: Saqueando a Cidade - com Joelho de Porco
1988: 18 Anos Sem Sucesso - com Joelho de Porco
2001: Outra Vez na Estrada - Ao Vivo - com Sá, Rodrix e Guarabyra
2008: Amanhã - com Sá, Rodrix e Guarabyra

Nenhum comentário:

Postar um comentário