Total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

24 de Novembro de 2012 - CAPITAL INICIAL na Fundição Progresso (RJ) - por Mellissa Martins

Enquanto eu estava no Vivo Rio assistindo ao show do Black Label Society, Mellissa Martins estava perto dali, na Lapa, esperando começar a apresentação do Capital Inicial. Sim, a Mell é fã de Dinho Ouro Preto e Cia.
Fazer o quê? Ninguém é perfeito.
Mais uma vez, Mellissa a nossa coloaboradora mais constante e importante escreve um post ao Blog. Dessa vez é a resenha do show do Capital Inicial na Fundição Progresso, na estréia carioca da nova turnê "Saturno".
Confira:

Sábado à noite. Lapa. Um show. E uma chuva torrencial caindo no Rio de Janeiro.
Uma das minhas bandas preferidas ia tocar num dos mais famosos palcos da cidade, a Fundição Progresso. Fiquei sabendo desse show no dia dos Titãs e fiquei logo empolgada! O Capital estava lançando seu mais novo trabalho, "Saturno" e eu não podia perder!!! Na semana seguinte adquiri meu ingresso, com o aval do Zé, que preferiu ver Black Label Society no Vivo Rio.
Sendo assim, Adriana e eu rumamos pra Fundição no dia 24/11, cheguei lá perto das 22hs, comi um sanduba e esperei a Dri chegar. Meia hora depois, lá estava ela. Demos um tempinho, bebemos uma cervejinha do lado de fora (que custa apenas a metade do preço e tem quase o dobro do tamanho da que vende no bar da Fundição, diga-se de passagem). Entramos e a Fundição tava meio vazia ainda um calor de matar! Compramos nossos tickets de bebidas e ficamos curtindo o som do DJ, só com Rock Nacional da melhor qualidade: Titãs, Barão, Paralamas, Biquini Cavadão, etc. Durante uma hora mais menos, fiquei analisando o público presente, que cada vez lotava mais a casa, não só composto de adolescentes e playboys como profetizou meu digníssimo, mas, sim, de jovens da minha idade em diante, destacando um com pinta de metaleiro, com barba e cabelos compridos que devia ter quase 50 anos, e era o mais empolgado de todos.
0:30 o Capital entra no palco com a nova "O bem e o mal" do disco "Saturno", já começando a aquecer os motores do show. Depois vieram "Depois da meia noite" e "A sua maneira", a partir daí, Dinho anunciou que ia tocar um clássico da banda, e o público foi a loucura! Veio "Fátima" uma das minhas preferidas, junto com "Música Urbana" que veio um pouco depois. Na empolgação, Dinho literalmente foi pra galera! Voltou pro palco e cantou "Eu vou estar", que ele não tocava há um tempão e eu adoro! Logo depois veio a bela "O fogo". Uma pequena pausa pra falar do disco e outra música bonitinha "O lado escuro da lua" (nome inspirado em "The Dark Side of the Moon, do Pink Floyd). Após a balada, o grupo tocou "A Valsa do Inferno", em contraste a canção anterior, e chamas começaram a surgir no palco, ilustrando bem o nome da canção.
Mais dois clássicos "Música Urbana" e "Natasha", e, mais uma vez o Dinho foi pra galera! E eu, que não sou besta, comecei o show do lado direito do palco, e no momento que ele se jogou na platéia já estava praticamente colada no centro no palco. Lógico que eu peguei nele, bem no ombro e me arrependi, já que ele estava nojento de tão suado! rsrs. Voltando pro palco todo arranhado emendou a nova "Saquear Brasília" e "Mulher de Fases" do Raimundos e depois homenageando os 21 anos da morte de Freddie Mercury, tocando a introdução de "Bohemian Rhapsody" e "We Will Rock You". E assim encerrou a primeira parte do show.
Nesse momento a galera começou a cantar "Primeiros erros" que não estava no setlist, mas, a pedidos, eles tocaram e incendiaram a Fundição. Depois da música, Dinho falou como amava tocar no Rio de Janeiro e como a responsabilidade de estar naquele palco era grande. Sob os aplausos de uma Fundição LOTADA, o frontman parecia extasiado com a empolgação da galera, olhando o público e sendo ovacionado. E encerrou a apresentação com "Independência" deixando seu público em ponto de clímax com uma performance para deixar qualquer fã satisfeitíssimo. E nós ficamos.
Não mencionei antes que fiz amizade com uma mocinha muito simpática que veio do Paraná e foi completamente sozinha assistir ao show. Paramos num ORELHÃO, isso mesmo, ORELHÃO! Rimos e à beça e tiramos uma foto. Fomos lá pra fora comer alguma coisa, que depois de ter suado pra cacete por conta do calor, a fome bateu forte. Encontramos minha irmã Carolina e o namorado, deixamos a Nicolle no ponto e pegamos um taxi pra casa. Felizes, MUITO felizes!
Eu admito que o Dinho é um tanto afetado no palco, repetindo inúmeras vezes "DuCaralhoooooooo". Mas, dessa vez, não houveram "Ducaralhoooooos", vi um cara aparentemente mais amadurecido, em ótima forma física para seus 49 anos, contido e profissional. Lógico que pulando muito e fazendo estripulias, deixando nítido que estava ali por amar o que faz e por e amar seus fãs.

Setlist:
O Bem, O Mal
Depois da Meia Noite
À Sua Maneira
Apocalipse Agora
Fátima
Água e Vinho
Como Se Sente
Eu Vou Estar
Fogo
O Lado Escuro da Lua
A Valsa do Inferno
Música Urbana
Natasha
Saquear Brasília
Mulher de Fases

Bis:
Primeiros Erros
Quatro Vezes Você
Independência





4 comentários:

  1. Respostas
    1. É Mell,
      como vc sabe o Blog teve um problema técnico e por isso não conseguia publicar fotos nos posts.
      Mas graças a Deus o problema foi resolvido, e já coloquei suas fotos no post.
      Beijão

      Excluir
  2. Por um acaso, fui pesquisar os grupos do Rock in Rio 2013, e por coincidência vi esse post. Como fui ao show, resolvi ler o blog, alguns segundos depois, percebi que quem escreveu foi a Mellissa Martins, que conheci no show! A propósito, eu sou a Menina simpática que foi sozinha ver o Capital hahahaha
    Nicolle Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nicole,
      e eu sou o namorado da Mellissa.
      prazer!
      Bjo

      Excluir