Total de visualizações de página

sábado, 12 de dezembro de 2009

MUSAS DO ROCK'N'ROLL - Primeira Parte

O Rock sempre foi considerado como uma "coisa de macho", na qual mulheres teriam um "papel secundário", na maioria das vezes como admiradoras e espectadoras. Ele foi inventado por homens, e talvez por isso seja muitas vezes machista.
Talvez a primeira mulher a fazer sucesso com o rock tenha sido a cantora americana Brenda Lee; cantando rockabilly, pop e country, ela conseguiu 37 sucessos na parada americana durantes os anos 60, feito superado apenas por Elvis Presley, The Beatles e Ray Charles. Entre seus maiores hits estão "Jambalaya", "I'm Sorry" e "Rockin' Around the Christmas Tree". Em sua visita ao Brasil entre o fim dos anos 50 e início dos anos 60, conheceu Celly Campello (a pioneira do Rock no Brasil) e ficaram amigas. Insistiu para que a acompanhasse aos Estados Unidos, mas Celly não quis deixar seu país.
Celly Campelo , ao lado do irmão Tony Campello que a acompanhou em boa parte da carreira, foi responsável pela popularização do Rock and Roll no Brasil. A carreira explodiu em 1959 com a versão brasileira de "Stupid Cupid" ("Estúpido Cupido"), sucesso em todo país no ano de 1959. Outros grandes hits foram: "Lacinhos Cor-de-Rosa", "Billy", "Banho de Lua" e "Broto Legal". Celly abandonou a carreira no auge, aos 20 anos, para se casar e morar em Campinas, em 1962.
Na Itália, surgiu o fenômeno Rita Pavone, que começou sua carreira em 1962, com vários sucessos com forte apelo pop como "Datemi un martello", e rapidamente tornou-se um sucesso mundial, fazendo bem sucedidas turnês pela Europa e América Latina.




Enquanto isso no Brasil, em 1965 surgia a "Jovem Guarda", liderados por Roberto e Erasmo Carlos, conquistaram o Brasil com um pop rock de letras ingênuas e doces, e com várias versões em português de canções dos Beatles. As maiores musas do movimento foram Wanderléia - a "Ternurinha", e Rosemary - a "Fada Loira"

WANDERLEIA E

ROSEMARY


Em 1965, a então modelo e atriz Christa Päffgen, mais conhecida como Nico, conheceu o guitarrista do Rolling Stones, Brian Jones, e gravou com ele o seu primeiro single, "I'm Not Sayin'". Andy Warhol, o então empresário do Velvet Underground, colocou Nico na banda, que participou do projeto "Exploding Plastic Inevitable", um show experimental e alternativo de Andy Warhol, que misturava música, filme, dança e pop art. Nico fez o vocal principal em três músicas ("Femme Fatale", "All Tomorrow's Parties" e "I'll Be Your Mirror") e providenciou o backing vocal em ("Sunday Morning") no álbum de estréia da banda: The Velvet Underground and Nico. Lançado no ano de 1967, o álbum foi fundamental para o aparecimentos de muitos gêneros musicais, incluindo o punk rock e New Wave. Em seguida, começou sua carreira solo, bem aclamada pela crítica. Entre seus affairs estão Lou Reed, John Cale, Jim Morrison, Jackson Browne, Brian Jones, Tim Buckley, Bob Dylan e Iggy Pop.




Em 1964, Mick Jagger compôs ao lado de Keith Richards "As Tears Go By" para sua namorada Marianne Faithfull gravar; os Rolling Stones também a gravariam mais tarde. Ela lançou outros compactos de sucessos como "This Little Bird", "Summer Nights" e "Sister Morphine". Depois de se separar de Jagger, Faithfull parou de gravar durante um tempo e tornou-se viciada em drogas, retornando a lançar discos nos anos 70. Em 1997 participa do álbum Reload, do Metallica na música "The Memory Remains".


Janis Joplin foi pioneira ao quebrar as barreiras do preconceito durante os anos 60, pois sem ser bonita, se tornou uma das maiores musas do rock. Começando como cantora da banda Big Brother and the Holding Company, seguindo carreira solo que a trasformou num dos maiores ícones da música pop. Com uma voz poderosa e com forte influência do blues, a cantora personificou a trinca sexo, drogas e rock and roll até sua prematura morte, em 1970.

Na mesma década aparecereu o movimento Folk, com Bob Dylan como precursor, e tendo como ícones duas mulheres: Joan Baez e Joni Mitchell; consideradas verdadeiras poetas e trovadoras.



Entre 1966 e 1972, Rita Lee formou ao lado dos irmãos Arnaldo Baptista e Sérgio Dias, Os Mutantes, uma das maiores e mais influentes bandas de Rock do Brasil. Rita gravou seis discos com a banda, e foi casada com Arnaldo. Em 1972 ela sai da banda e forma o Tutti-Frutti, lançando o LP "Hoje é o primeiro dia do resto da sua vida", com o hit "Menino Bonito". Com o disco Fruto Proibido, de 1975, Rita alcança a consagração nacional, com vários sucessos como "Agora só falta você", "Esse tal de roque enrow" e "Ovelha negra".
Em 1976, conhece o músico carioca Roberto de Carvalho e inicia uma parceria musical/amorosa de sucesso, que segue até os dias atuais. Inauguram uma fase superpop, compondo juntos uma cassetada de super-sucessos: "Mania de Você", "Lança-Perfume", "Doce Vampiro", "Chega Mais", "Baila Comigo", "Nem Luxo Nem Lixo", "Saúde", "Atlântida", "Banho de Espuma", "Mutante", "Flagra", "Cor de Rosa Choque", "On the Rocks", "Desculpe o Auê", "Vírus do Amor", "Bwana", "Pega Rapaz", "Caso Sério", "Barata Tonta".
No dia 31 de dezembro desse ano, completará 62 anos, e continua lançando bom discos e arrebentando em suas apresentações ao vivo.
É merecidamente chamada de a "Rainha do Rock Brasileiro".



Anna Mae Bullock, conhecida como Tina, se junta a Ike Turner para uma turnê, como backing vocal. Dois anos mais tarde, Tina seria a estrela do show, a formação passou-se a chamar Ike Turner & The Kings of Rhythm. Tempos depois passaria para Ike & Tina Turner. A dupla começou a bater as listas de vendas em 1960 com o hit "A Fool In Love". Ao longo da década com ajuda do produtor Phil Spector tiveram êxito com River Deep Mountain High. No começo o estilo era basicamente soul e R&B, mas com as regravações de "Proud Mary" (Creedence Clearwater Revival), "Get Back" (Beatles) e "Honk Tonk Woman" (Rolling Stones) foram se tornando cada vez mais Rock and Roll. Três anos depois Tina abandonou Ike Turner devido a seu comportamento agressivo e uso de drogas. Em 1975 fez um papel de "Acid Queen" no filme "Tommy" (inspirado na obra do The Who). No final dos anos 1970 gravou alguns álbuns para a United Artists, mas com pouca repercussão. Ressurge como um fenômeno nos anos 80, com seu primeiro sucesso com "Let's Stay Together" (versão do clássico de Al Green) em 1983. Depois uma enxurrada de hits: "What's Love Got To Do With It", "Better Be Good To Me" e "Private Dancer" (composta para ela por Mark Knopfler). "We Don't Need Another Hero", "Typical Male" "The Best".

2 comentários:

  1. Putz! O post é bem legal, mas dizer que a Janis não era bonita, é sacanagem, a Janis era linda, nessa lista é a mais bonita ao lado da Nico !!!

    ResponderExcluir
  2. Cara, gosto cada um tem o seu.
    Não considero a Janis uma gata, mas isso não quer dizer que sou o Sr da Razão.
    Valeu!!!

    ResponderExcluir