Total de visualizações de página

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

MUSAS DO ROCK'N'ROLL - Segunda Parte

Em 1969, a cantora Sonja Kristina entra para Curved Air, banda britânica pioneira do rock progressivo. Também faziam parte do grupo Francis Monkman (teclado e guitarra), Darryl Way (violino e vocal), Florian Pilkington-Miksa (bateria) e Rob Martin (baixo).
A formação sofreu várias modificações, chegando a contar com o baterista Stewart Copeland (que mais tarde formaria o The Police). O primeiro álbum foi lançado em 1970. Air Conditioning alcançou a oitava posição nas paradas do Reino Unido. Em 1976 a banda gravou seu último álbum e acabou se dividindo.
Desde o Curved Air, Sonja tem uma carreira solo, chegando a fazer parte do movimento acid folk londrino no início da década de 90, culminando com o CD "Song from Acid Folk" (1991), muito elogiado pela crítica especializada.



Em 1972, Annie Haslam entra para a banda britânica Renaissance, que viria a se tornar um dos maiores grupos de Rock Progressivo do mundo. A combinação dos arranjos orquestrais com a voz doce e suave de Annie renderam vários hits como "Northern Lights", "Carpet of the Sun", "Ashes Are Burning", e "Let It Grow"; essa última talvez seja a mais conhecida de todas, presente no LP "Ashes Are Burning" (foto da capa logo abaixo)
Chegou a lançar mais de vinte álbuns com a Renaissance, mas desde 1977, grava seus discos solos.
Além disso, fez inúmeras participações especiais em trabalhos de músicos renomados, como Steve Hackett (ex-guitarrista do Genesis) e com o guitarrista do Yes, Steve Howe, na belíssima "Turn of the century".
Já esteve no Brasil por quatro vezes, e em 2001 se apresentou ao lado de Flávio Venturini em alguns shows.
Ultimamente, Annie Haslam está dedicando, paralelamente, às artes plásticas, pintando quadros.



Com atitude e sonoridade totalmente Rock'N'Roll, a norte-americana Suzi Quatro, inovou porque além de cantar e liderar uma banda, foi provavelmente uma das primeiras baixistas do Rock.
Formou sua primeira banda com as irmãs, aos 15 anos, chamada de Suzi Soul And The Pleasure Seekers. Em 1972, começou sua muito bem sucedida carreira-solo lançando o single "Rolling Stone".
Seus maiores sucessos nos anos 70 foram “Can the Can”, "48 Crash", "Daytona Demon" e "Devil Gate Drive". Durante essa década lançou seis LPs. Não conseguiu manter a popularidade nas décadas seguintes.


Idealizado pelo empresário e produtor Kim Fowley, o grupo The Runaways surgiu em 75, trazendo na formação apenas mulhers. Apesar da proposta visivelmente comercial, as garotas conseguiram fugir do estigma de banda pré-fabricada.
A fama do grupo começou a se firmar em apresentações nos clubes de Los Angeles. No ano seguinte, sai o primeiro álbum, "Runaways", que trazia Joan Jett (vocais e guitarras), Sandy West (bateria), Cherie Currie (vocais), Lita Ford (lead guitar) e Jackie Fox (baixo).
A partir de "Queens of Noise" (77), segundo álbum da banda, começam as brigas internas. Joan Jett, após a saída de Currie, assume definitivamente os vocais. alé disso, ao todo, três baixistas passaram pelo grupo: Jackie Fox, Laurie McCallister e Vicki Blue.
A turnê japonesa agrava a crise interna, mas não impede o lançamento de um disco ao vivo. "And Now... The Runaways", de 78, marca o declínio da banda, que lançaria ainda "Flaming Schools" (80).



Com o fim do Runaways, Jett partiu para Londres, onde fez uma parceria com os ex-Sex Pistols Steve Jones e Paul Cook, no compacto "You Don't Own Me". De volta à Califórnia, lança "Bad Reputation". Em 82, "I Love Rock And Roll" chega ao topo das paradas americanas. Os álbuns seguintes tem pouca repercussão e em 90 lança uma copilação de covers intitulada "Hit List".
Há cerca de quatro anos, Jett se uniu ao The Gist, num tributo ao vocalista e líder da banda, Mia Zapata, raptado e morto em Seattle.
sem dúvida, Joan Jett é um das responsáveis pelo o movimento "Riot Grrrls", de bandas raivosas encabeçadas por mulheres. A identificação com a nova geração é tanta que representantes desse estilo - L7, Bikini Kill e Babes in Toyland - fizeram participações em seu disco "Notorious" (94).
Na foto abaixo, Joan aparece ao lado da atriz e modelo Carmen Electra:



Outra que fez carreira solo depois do Runaways foi Lita Ford. Ela conseguiu muito mais notoriedade pelos seus atributos físicos do que propriamente pela música. "Out for Blood" marcou o início de sua carreira solo, em 83.
Lita teve repercussão com "Dancing on the Edge" (84), "Lita (88), Stilleto" (90), mas as histórias envolvendo sua vida particular sempre despertaram maior interesse. Além da união com o guitarrista do WASP, Chris Holmes, Lita namorou o guitarrista Tony Iommi (Black Sabbath), e com o baixista Nikki Sixxi (Motley Crue).
Chegou a gravar ao lado de Ozzy Osbourne a melosa balada "Close My Eyes Forever", lançado em 1988, chegando ao topo das paradas. Essa reunião foi possível porque Sharon Osbourne (esposa e empresária de Ozzy) passou a empresariar Lita.
A música "Dangerous Curves", composta por Sammy Hagar para homenageá-la, acabou nomeando um de seus álbuns, lançado em 91. Atualmente está casada com o ex-vocalista do Nitro, Jim Gillette.

Nenhum comentário:

Postar um comentário