Total de visualizações de página

sábado, 22 de setembro de 2012

19 de Setembro de 2012 - ZECA BALEIRO NA LONA DE JACAREPAGUÁ (RJ)

Zeca Baleiro é aquele tipo raro de artista que consegue aliar inteligência, talento, carisma, irreverência e bom humor. E foi justamente tudo isso que ele esbanjou durante sua primeira apresentação na Lona Cultural Jacob do Bandolim, que fez parte das comemorações dos cinco anos do espaço em Jacarepaguá.
Sozinho no palco, Zeca comandou o que seria um grande karaokê, já que a platéia sabia de cor TODAS as letras, inclusive das músicas de seu mais novo CD "O Disco do Ano". O coro começou logo na abertura em "Bandeira", a canção que junto a "Flor da Pele", o tornou conhecido em todo o Brasil.
Simpático, conversou com o público o tempo todo, e teve muito jogo de cintura ao enfrentar os inúmeros problemas técnicos. Seu violão falhou em vários momentos,  no primeiro o cantor pegou seu ukelele pra cantar "Maresia" (grande sucesso na voz de Adriana Calcanhoto), enquanto seu roadie tentava consertar o instrumento.
Parecia que estava tudo resolvido, até o Bis, onde Zeca fez literalmente à capella o medley "Vapor Barato" /"Flor da Pele", e a cover de Martinho da Vila, "Disritmia". Só com o apoio das palmas e do coro da galera, demonstrando muita boa vontade e consideração dos fãs, o cantor levou no gogó, chegando a homenagear o bairro em "Neurastênico", cantando os versos: "Bbbbbbbbrrrrrrrrrrrrrr! Mas que nervoso estou Bbbbbbbbrrrrrrrrrrrrrr! Sou neurastênico Bbbbbbbbrrrrrrrrrrrrrr! Preciso me tratar, senão eu vou prá Jacarepaguá...".
Outro homenageado foi Hyldon, que é morador de Jacarepaguá, e virou parceiro de Baleiro em "Calma Aí, Coração", presente em seu novo álbum. Depois de mostrar a parceria, Zeca fez questão de lembrar o mais famoso hit do amigo: "Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda".
Todos os atributos que listei no começo do texto podem ser confirmados em suas letras cheias de sacações e tiradas de inteligência rara e de humor fino e ao mesmo tempo ácido, como "Vai de Madureira" e "Samba do Approach". Assim ele consegue acabar com a gracinha dos malas que em qualquer tipo de apresentação musical, ficam gritando: "Toca Raul!". Nessa situação, Zeca Baleiro pode tirar o coelho da cartola e mandar a sua composição "Toca Raul", que justamente brinca com esse hábito dos chatos.
Por falar em malas e chatos, bem que ele podia ter atendido aos meus tímidos pedidos, e principalmente aos de uma moça que perto do palco passou o show todo gritando pra que tocasse "Heavy Metal do Senhor".
De qualquer forma, se Zeca Baleiro cumprir a promessa de voltar o mais breve possível à Lona de Jacarepaguá, eu já me dou por satisfeito.
SETLSIT:
Bandeira
Babylon
Quase Nada
Bola Dividida
Alma Não Tem Cor
Vai de Madureira
Proibida pra Mim
Maresia
Calma Aí, Coração
Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda
Nada Além
Mamãe no Face
Versos Perdidos
Alma Nova
Samba do Approach
Lenha
Salão de Beleza
Telegrama

Bis:
Vapor Barato / Flor da Pele
Disritmia
Neurastênico
Toca Raul

Nenhum comentário:

Postar um comentário