Total de visualizações de página

sábado, 29 de setembro de 2012

EU NA EUROPA 2012 - Decimo Sexto Dia - Roma Parte III (Piazza Santa Maria Maggiore, Fontana di Trevi, Trinità dei Monti, Piazza di Spagna, All Saints Church, Piazza del Popolo, Il Genio di Leonardo da Vinci Museo, Pantheon Romano, e Piazza Navona)

Nossa primeira parada do dia foi a Piazza Santa Maria Maggiore, aonde se localiza a Basílica de Santa Maria Maggiore, construída no séc. IV pelo Papa Libério, inspirado por um sinal da Virgem, que fez nevar neste local em pleno verão de Roma. É a primeira Igreja dedicada a Virgem Maria no Ocidente, e uma das mais belas e adornadas de toda a cidade. Abriga entre outras coisas um relicário com um pedaço da manjedoura do menino Jesus (foto abaixo)
Os mosaicos encontrados em Santa Maria Maggiore são obras incrivelmente belas, e são também uma das mais antigas representações da Virgem Maria.
Fomos almoçar num restaurante ali pertinho, que possuia uma decoração, digamos, bem peculiar e pitoresca. Confira:
A Mell papou tudo...
Depois de uma boa caminhada chegamos a um dos lugares mais famosos de Roma, a A Fontana di Trevi, a maior (cerca de 26 metros de altura e 20 metros de largura) construção de fontes barrocas da Itália.
A fonte é muito grande mesmo, e também chama a atenção pela beleza e pela quantidade de turistas que disputam espaço para fazerem suas fotos.
Abaixo o famoso casal Anita Ekberg e Marcello Mastroianni revivendo a clássica cena de "La Dolce Vita".
Roma possui várias fontes, a maioria com água potável, muito providencial nessa época de grande calor.
Uma bem famosa, mas de proporções bem mais humildes é a Fonte do Tritão (Fontana del Tritone), uma das primeiras fontes de Gian Lorenzo Bernini, construída entre 1642 e 1643. Está localizada na Piazza Barberini.
A escultura mostra Tritão, filho de Netuno, cujo tronco é de um homem e as pernas eram a cauda de um peixe, sorvendo água de uma concha, sendo apoiado por quatro grandes peixes.
Próxima parada: Trinità dei Monti, uma das mais fotografada das igrejas de Roma. Ela está localizada no alto da Piazza di Spagna e da monumental escadaria chamada Espanhola, construúda no começo do século XVIII. A igreja foi fundada pelo rei Carlos VIII de França, com a construção iniciada em 1502, sendo terminada em 1587.
A mais importante obra do interior da Igreja é a "Deposição da Cruz", de 1541, por Daniele da Volterra (1509-1566) .
A Piazza di Spagna é um famoso ponto de encontro diurno e noturno de romanos e turistas. A fonte no centro da praça tem a forma de um barco, e por isso tem o nome de La Barcaccia. Ela foi construíde entre 1627 e 1629.
Mais algumas andanças, e passamos por uma Igreja Anglicana. Pra quem conhece um pouquinho de História, entende o paradoxo de estar em Roma e conhecer um templo desse tipo.
A Igreja All Saints é muito bonita, tanto em sua fachada quanto no seu interior.
Perto dali, chegamos numa enorme praça, acredito que a maior da cidade, a Piazza del Popolo (Praça do Povo). Nela se localiza a igreja de Santa Maria del Popolo, erguida no século XI no local onde Nero morreu e foi sepultado.
No centro da praça há o obelisco Flaminio de 24 metros, construído no templo dos faraós Ramsés II e Mineptah (1232-1220 a.C.), levado para Roma por Augusto e anteriormente colocado no Circo Máximo. A praça possui forma elíptica, e é decorada com numerosas fontes e quatro leões em mármore que cospem água em quatro vasos. Na foto estou montado em um deles.
Foi nessa praça que encontramos o Il Genio di Leonardo da Vinci Museo, que possui uma pequena, mas bem interessante exposição com projetos criados por Da Vinci em tamanho natural.
Muitas das obras são interativas, e o visitante pode e deve mexer.
Saindo da exposição, subimos uma escadaria que leva ao alto de uma colina que guarda uma bela vista da Piazza del Popolo.
Saindo de lá, decidimos ir para o Pantheon Romano, no caminho fizemos compras, e assistimos esse fantástico artista de rua trabalhando.
O Pantheon, também conhecido como Panteão de Agripa, foi construído na época greco-romana em 27 a.C, e de forma impressionante, se encontra em perfeito estado de conservação. Originalmente foi construído como templo dedicado a todos os deuses Gregos. Mas a partir do século VII, passou a ser um templo cristão.
Sobre o pórtico do edifício está escrito: "M.AGRIPPA.L.F.COS.TERTIUM.FECIT", o que significa: "Construído por Marco Agripa, filho de Lúcio, pela terceira vez cônsul",pois realmente foi erguido durante o terceiro consulado de Marco Vipsânio Agripa.
Infelizmente quando chegamos lá, o Pantheon já estava fechado.
Mas tudo bem, fica pra próxima vez...
Em compensação encontramos o Pinochio passeando por ali. Fiquei até emocionado com o encontro, até porque o primeiro filme que assisti no cinema foi o "Pinochio" de Walt Disney, no extinto Drive In de Jacarepaguá.
Mais um pitstop pra jantar...
...e finalizamos o passeio na bela Piazza Navona.
Nessa praça encontra-se outra famosa fonte da cidade, a Fontana dei Quattro Fiumi (Fonte dos Quatro Rios, 1651). A praça dispõe ainda duas outras fontes: a Fontana di Nettuno (de 1574, na foto acima), na área norte da praça, e a Fontana del Moro (1576), na área sul.
O bacana do lugar é a quantidade de artistas que expõe, vendem e exercem lá o seu trabalho: escultores, pintores, artesãos e músicos, com destaque para a famosa e bela acordeonista que já faz parte do cenário da praça.
É também na Piazza Navona que está localizado o Palazzo Pamphilj, propriedade da República Federativa do Brasil, sede da Embaixada Brasileira e da Missão Diplomática do Brasil para a Itália.

Um comentário: