Total de visualizações de página

terça-feira, 23 de outubro de 2012

20 de outubro de 2012 - BARÃO VERMELHO na Fundição Progresso

O domingo nascia feliz, quando às 4 da manhã, o Barão Vermelho já no terceiro bis mandava os últimos acordes de “Satisfaction” dos Stones. Era a derradeira canção do primeiro show da turnê "+ 1 dose", que comemora os 30 anos de lançamento do primeiro disco da banda.
Roberto Frejat (guitarra e voz), Guto Goffi (bateria), Rodrigo Santos (baixo), Fernando Magalhães (guitarra), Maurício Barros (teclados) e Peninha (percussão) não pisavam juntos no mesmo palco desde 19 de janeiro de 2007, data do último show, no Tom Brasil, em São Paulo.
Os fãs estavam com saudade, tanto que a Fundição Progresso teve todos seus ingressos vendidos. E as mais de cinco mil pessoas que lotaram a casa, tiveram que esperar até as duas da manhã do novo horário de verão pra poder conferir novamente o Barão em ação.
Eu realmente não entendo porque normalmente acontece na Fundição esse desrespeito com o público. É de praxe esperar horas para o início dos shows que rolam na casa. A coisa é tão escrachada que no ingresso só indica a hora da abertura dos portões.
Mas voltando... A noite começou com Autoramas, às 23h30m (no horário antigo). O som estva alto, mas bastante embolado, e o trio teve uma boa recepção do público. O destaque fica para a charmosinha baixista Flávia Couri, que manda bem no seu Rickenbacker. O trio ainda formado por Thomaz (guitarra e voz) e Bacalhau (bateria) possui músicas conhecidas como "Você sabe" e "Fale mal de mim" , e ainda tocaram covers de "I saw you saying", sucesso dos Raimundos composto por Gabriel, e "Minha fama de mau", da fase Jovem Guarda de Erasmo Carlos. E conseguiram agradar a galera que apaludiu respeitosamente.
O Barão foi começar só às 2h do horário de verão. O empresário Prefeito Fortuna, foi quem anunciou o primeiro show da banda há 30 anos e fez questão de repetir o feito depois de três décadas. A banda abriu com "Por que a gente é assim?". Todo mundo estava de saco cheio de esperar tanto, mas o bom e velho Rock and Roll conquistou a todos logo de cara.
Assim como no álbum “Ao Vivo” de 1988 (que quase furei o LP de tanto ouvir), as 3 primeiras foram emendadas; assim “Ponto Fraco” e “Pense e Dance” estremeceram o lugar.
 Frejat estava visivelmente empolgado, e vestido com um blazer vermelho, arrepiava na guitarra, com o auxílio do grande Fernando Magalhães, revivendo uma das melhores duplas de guitarrista da história do Rock nacional.
O repertório foi matador, além dos clássicos baronianos, rolaram duas da fase solo de Cazuza, "O Tempo Não Para" e "Codinome Beija Flor", ambas já regravadas pelo Barão. Foram seis canções do primeiro disco, mais a faixa inédita "Sorte Ou Azar", que fará parte da reedição do álbum.
Além de Stones, também rolaram os covers de Legião Urbana ("Quando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto"), Erasmo Carlos ("Vem Quente Que Eu Estou Fervendo"), Bezerra da Silva ("Malandragem Dá Um Tempo", e Raul Seixas ("Tente Outra Vez"), todas já presentes em discos do Barão.
Dé Palmeira, baixista da formação original, fez participação especial, tocando violão nas músicas "Bilhetinho Azul" e "Todo Amor Que Houver Nessa Vida", ao lado de Frejat. Também voltou no bis para tocar guitarra em "Pro Dia Nascer Feliz".
Frejat também agradeceu e lembrou do grande baixista Dadi, que saiu do Barão para fazer turnê com Caetano Veloso, e Sergio Serra, que tocou guitarra no comecinho da banda.
O setlist cobriu bem toda carreira, com músicas de quase todos os discos, exceto "Rock'n Geral" (de 1986), que bem que poderia ter sido representado pelo Blues "Quem me Olha Só", parceria de Frejat e Arnaldo Antunes.
E ainda faltaram vários sucessos como "Daqui por Diante", "Torre de Babel", "Flores do Mal", "Amor Meu Grande Amor", "Eu Queria Ter uma Bomba". E a galera ainda pediu "Exagerado" do Cazuza. Mas mesmo assim, não tinha como sair reclamando. Showzaço!
É pena que essa volta do Barão não seja definitiva, e deve durar só até março de 2013, que é quando termina a turnê. É torcer pra que Frejat e Cia tomem gosto pela coisa, e resolvam continuar. O Rock and Roll agradeceria imensamente.

SETLIST:
Por que A Gente É Assim?
Ponto Fraco
Pense e Dance
Cuidado
Menina Mimada
Billy Negão
Carne de Pescoço
Meus Bons Amigos
Política Voz/Tão Longe de Tudo
Por Você
O Poeta Está Vivo
Bilhetinho Azul
Todo Amor Que Houver Nessa Vida
Sorte e Azar
Pedra Flor e Espinho
Vem Quente Que Eu Estou Fervendo
Bete Balanço
Chave da Porta da Frente
Puro Êxtase
Quando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto
Malandragem dá um Tempo
Declare Guerra
Maior Abandonado

 Bis 1:
Down em Mim
O Tempo Não Para
Tente Outra Vez
Pro Dia Nascer Feliz

Bis 2:
Codinome Beija-Flor

Bis 3:
(I Can't Get No) Satisfaction

4 comentários:

  1. Que repertório FODA! Queria ter ido :(

    ResponderExcluir
  2. Orepertório e o show foram muito foda mesmo.
    Foi mesmo uma pena vc ter perdido.
    :-(

    ResponderExcluir
  3. Foi uma pena eu não ter conseguido ingresso, mas fico feliz por quem foi e cutiu esse showzaço que foi muito elogiado pelo público

    Alessandra Duarte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Alessandra,
      foi uma pena mesmo, pq o Rock and Roll Rolou direto!
      Bjo

      Excluir