Total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

EU NA EUROPA 2012 - Decimo Sétimo Dia - Roma Parte IV (Vaticano e Castelo de Sant' Angelo)

Todos os programas que fizemos em Roma foi a pé. Mas estava tanto calor que resolvemos ir de metrô até o Vaticano. Fomos até a estação, compramos os bilhetes e depois de rodar e subir e descer várias escadas, descobrimos que a estação que pegaríamos estava fechada, mas que havia ônibus reservado para quem comprou passagem de metrô.
Assim fomos apertados e em pé até o Vaticano.
Praça do Vaticano

O Vaticano é a sede da Igreja Católica, e é uma cidade-Estado, cujo território consiste de um enclave murado dentro da cidade de Roma. Com aproximadamente 44 hectares (0,44 km²) e com uma população de pouco mais de 800 habitantes, é o menor País do mundo, tanto por população quanto por área.
Se você pretende visitar a cidade, atente para um detalhe super importante: para entrar nas dependências tanto da Basílica de São Pedro quanto na Capela Sistina, homem não pode estar de short ou camiseta regata; e mulheres não podem entrar de saia curta, ombros a mostra e blusas com decote. As moças podem lançar mão de véus e xales para cobrirem as partes expostas; já os rapazes não tem essa opção, e se não tiverem com o traje apropriado são barrados sumariamente.

O drama maior é que além do calor e do Sol saarianos, a fila pra entrar na Basílica de São Pedro ou pra subir a Cúpula é enorme. E as pessoas são barradas por estarem com "trajes inapropriados" apenas no final, depois de torrarem no sol.
Graças a Deus, e ao meu irmão que me deu o aviso previamente, eu e Mell estávamos vestidos decentemente.
Nossa primeira parada foi a gigantesca e deslumbrante Basílica de São Pedro, onde logo na entrada no lado direito nos deparamos com a maravilhosa Pietá de Michelangelo; talvez a mais conhecida das esculturas feitas pelo artista, representando Jesus morto nos braços da Virgem Maria. Desde que a estátua foi atacada em 1972, está protegida por um vidro a prova de bala.
Outra escultura famosíssima é a Estátua em bronze de São Pedro, atribuída ao escultor Arnolfo di Cambio (século XIII). É bem interessante observar o desgastado pé direito, já sem dedos depois de milhares de fiéis que passaram suas mãos ao longo de doze séculos, em busca de bençãos.
São Pedro é considerado o primeiro Papa. Ele e todos os outros seguintes possuem seus túmulos na Basílica. Alguns deles se encontram com os corpos expostos e mumificados. Como o da foto abaixo. Só não me pergunte seu nome, porque eu não me lembro...
Abaixo a lista de todos os Papas, encontrada na saída da Basílica de São Pedro.
Meu irmão tinha me avisado que a Capela Sistina fechava cedo, e me aconselhou a visitá-la primeiro. Assim, demos uma rápida passada na Basílica. Na saída perguntamos a um funcionário aonde ficava a famosa Capela, que nos respondeu que era no Museu do Vaticano. Lembramos que dentro da Basílica havia uma placa para o Museu das Relíquias do Vaticano, então fomos nós dois novamente entrar na enorme fila.
Quando estávamos quase chegando, perguntei a um dos seguranças a localização da Capela Sistina, que não sei por que começou a me responder em francês. Pedi que ele me respondesse em inglês, e foi aí que entendi que estávamos no lugar errado. O Museu do Vaticano fica fora da Praça, e não tem nada a ver com o  Museu das Relíquias do Vaticano.
Então, fomos correndo ao tal Museu do Vaticano...
Um membro da Guarda Suiça do Vaticano


O Museu é enorme e difícil de ser visitado em um dia só. Por isso, é bom traçar prioridades para não deixar nenhuma obra em especial para trás. Mas no nosso caso nos guiamos unicamente pela atração principal, a Capela Sistina. E fomos seguindo as placas pra chegar na mais aclamada obra de Michelangelo.
Se você visita Roma com mais calma, vale separar um dia inteiro pra explorar esse museu, que guarda muitas outras jóias da arte antiga e medieval. Tem obras do Egito e da Grécia antiga, do Império Romano e uma vasta coleção de arte cristã. Na Pinacoteca, quadros famosos de mestres do Renascimento como Rafael, Leonardo da Vinci e Caravaggio.
Não aproveitamos essas atrações. Mas na correria, sempre seguindo as placas do "Caminho mais curto para a Capela Sistina", passamos por lugares lindos, como a Sala dos Tapetes (foto abaixo).
Ficamos na aba de um grupo que tinha um guia que explicava tudo em espanhol, que nos levou até a  Galeria dos Mapas, uma das salas mais espetaculares do Museu. O teto é todo esculpido e pintado. Nas suas paredes encontram-se mapas geográficos da Itália, pintados entre 1580 e 1585.
Logo em seguida chegamos num salão aonde estava um grande burburinho e flashs eram disparados constantemente. Quando chegamos na metade do hall, perguntei a Mell se ainda faltava muito pra chegar na Capela Sistina. Ela me olhou e disse: "Acho que já estamos nela. Olha pra cima!". Ela estava certa.
Sempre imaginei que essa Capela fosse um local onde estivesse silêncio absoluto, onde as pessoas entravam respeitosamente e que acima de tudo, não tirassem foto.
Foi lá que descobri que nós brasileiros não somos o único povo mal educado da face da Terra! Alguns guardas ainda tentavam timidamente impedir que alguns turistas tirassem fotos, mas logo desistiam.
Não sei pelo fato de ver tantas coisas lindas e maravilhosas antes de chegar lá, ou pelo choqe de presenciar tanto desrespeito; mas a verdade é que a Capela Sistina me decepcionou.
Na minha cabeça eu construia a imagem de um painel único gigantesco onde todas as figuras retratadas se comunicavam. Só que na realidade é como se  fossem colocados nas paredes e no teto vários quadros independentes, um ao lado do outro.
Não dá pra falar que é feio, muito pelo contrário. Mas não é tão belo quanto a imagem que eu tinha na cabeça.
O cansaço ou a fome bateram forte, e fomos almoçar... pizza. Há duas opções dentro do Museu, uma pizzaria simples e um restaurante chique com bela vista dos seus jardins.
Depois de bem alimentados fomos subir a cúpula da Basílica de São Pedro.
Para chegar lá são 551 degraus de sacrifício. Calma, a subida funciona assim: existe a possibilidade de subir um trecho de elevador, pagando-se mais por isso, e dessa forma passa-se a ter que encarar apenas mais 320 degraus... Moleza, né? Pior que não, é puxado, podem acreditar. O elevador nos leva até um patamar onde podemos ver a cúpula bem mais pertinho, como na foto acima. Dali em diante, só de escada mesmo. Chega momentos em que a escada acompanha o desenho da cúpula e as paredes ficam tortas, dá para sentir uma verta tontura. E cada vez vai ficando mais estreito, o calor vai aumentando junto com o cansaço.
Mas eis que se chega ao fim, e uma visão maravilhosa de Roma que vale todo o esforço.
Cansados, suados e bastante felizes...
Descemos, e voltamos para ver a Basílica com mais calma...
O túmulo de João Paulo II
Estávamos exaustos, mas decidimos voltar a pé para o Hotel. No caminho passamos pelo Castelo de Sant' Angelo.
Também conhecido como Mausoléu de Adriano, localiza-se à margem direita do rio Tibre, diante da Ponte Sant'Angelo, bem perto do Vaticano. No seu interior funciona um museu, que já estava fechado no horário em que chegamos.
A sua construção foi iniciada em 135 pelo imperador Adriano como um mausoléu pessoal e familiar, sendo concluído por Antonino Pio em 139. Depois passou a ser um edifício militar. Durante a época medieval foi a mais importante das fortalezas pertencentes aos Papas. Serviu também como prisão na época dos movimentos de unificação da Itália ocorridos no século XIX.
Assim como o Chateau de Vincennes em Paris, estar ali no Castelo de Sant' Angelo é como fazer uma viagem no tempo.


E por falar em viagem no tempo, em frente ao castelo, na bela Ponte Sant' Angelo, assistimos a um guitarrista mandando muito bem no Rockabilly, na sua linda Gibson semi-acústica. O cara usava seu case para guardar as moedas.
E olha o cartaz que ele carregava. Não tinha como não colaborar...
Pertinho dali outro guitarrista, com uma Les Paul mandava Blues e Classic Rock. Usando um pedal ele gravava as bases e as repetia, solando por cima, numa pegada animal. Ele também ganhou suas moedinhas.
A bela Ponte Sant'Angelo

Pra fechar o dia, ou melhor, a noite com mais uma deliciosa Pizza, só pra variar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário