Total de visualizações de página

segunda-feira, 14 de junho de 2010

12 de Junho de 2010 - FLAVIO VENTURINI NO SHOW "SÓ LOVE" (Teatro Rival)

É uma daquelas idéias perfeitas: show do Flávio Venturini no Dia dos Namorados. Flávio é um dos melhores compositores de baladas, criador de várias das mais bonitas melodias do mundo. Suas canções são perfeitas pra servir de trilha para encontros e momentos românticos.
Mas a apresentação ainda teria um diferencial, o músico montou o repertório inteiro com algumas de suas músicas de amor prediletas, em duas noites no Rival (sexta e sábado), que foi batizado de "Flavio Venturini - Só Love"; acompanhado pelo tecladista Renato Fonseca e com um excelente soxofonista e flautista (que infelizmente não guardei o nome).
Com um cenário repleto de corações infláveis, e com luzes formando um ambiente intimista, Flávio começa com um dos maiores clássicos de Tim Maia: "Azul da Cor do Mar". É imendado com sua belíssima composição, e sucesso do 14 Bis, "Todo Azul do Mar", quando entra cantando a convidada especial Barbara Mendes. Dona de uma bela voz, ela lançou seu CD "Nada Pra Depois" pelo selo de Flávio Venturini "Trilhos.arte". Além de cantar muito bem, tem boa presença de palco, e é desinibida, e junto com o mineiro lia coraçõezinhos de papel que foram distribuídos ao público para que escrevessem declarações para seus amados; enquanto Venturini se limitava a lê-los, Barbara os interpretava com graça.
Numa noite de belas melodias, não podia faltar Beatles, e levam uma versão de "Here, There and Everywhere", que ainda não apereceu em seus discos porque o cantor não conseguiu ainda a liberação.
Clássicos eternos como "Caminhos Cruzados" (Tom Jobim/Newton Mendonça), "My Romance", "Just The Way You Look Tonight" e "Sorri" (versão de João de Barro pra lindíssima "Smile", de Charles Chaplin) ganharam interpretações e arranjos que emocionaram o público. Particularmente eu acho que ficariam mais bonitos ainda sem os acompanhamentos pré-gravados utilizados em algumas músicas.
Bárbara canta a faixa-título do seu disco, agradecendo muito a oportunidade de dividir aquela noite tão especial. Grande parte do público presente também deveria agradecê-lo por apresentar essa talentosa cantora; eu mesmo não a conhecia, e fiquei encantado.
Realmente Flávio caprichou na seleção: "Lembra de Mim" de Ivan Lins, "Fruta Boa" de Milton Nascimento e Fernando Brant (Com letra que é um verdadeiro poema) e "Amor de Índio" do contorrâneo e amigo Beto Guedes.
Bárbara Mendes arrancou aplausos numa emocionada interpretação de "Amores Possíveis", que também é muito bem cantada por Moska na gravação original da trilha do filme com mesmo nome.
É claro que não poderiam faltar as composições de Flávio Venturini, que a todo momento eram pedidas durante o show: "Céu de Santo Amaro", "Nascente", "Noites com Sol" e fechando o show "Espanhola".
No Bis Venturini surge de violão, e Bárbara pergunta com carinha de safada: "Nessa noite já tivemos muito amor. Não é verdade? E o que está faltando agora?". Então tocam "Amor e Sexo" (Rita Lee / Roberto de Carvalho / Arnaldo Jabor), um encerramento sugestivo para os casais de namorados de todas as idades.
Antes que algum engraçadinho pergunte, Flávio Venturini não tocou nenhuma música do Claudinho & Buchecha!

Set List:
1- "Azul da Cor do Mar"/"Todo Azul do Mar"
2- Versão de "Here, There and Everywhere"
3- "Caminhos Cruzados"
4- "My Romance"
5- "Sorri" ("Smile")
6- "Nada Pra Depois"
7- "Just The Way You Look Tonight"
8- "Lembra de Mim"
9- "Amores Possíveis"
10- "Fruta Boa"
11- "Amor de Índio"
12- "Céu de Santo Amaro"
13- "Nascente"
14- "Noites com Sol"
15- "Espanhola"

BIS:
16- "Amor e Sexo"

5 comentários:

  1. "Antes que algum engraçadinho pergunte, Flávio Venturini não tocou nenhuma música do Claudinho & Buchecha!" Como não??? Engana trouxa né? Eu vi o quanto vc ficou decepcionado por não ouvir sua música de amor preferida... Não tem problema, depois eu compro o CD pra vc no seu aniversário!

    ResponderExcluir
  2. A propósito, no seu calendário já é novembro?? Pensei que dia dos namorados fosse em junho! rsrs

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. É..viajei, já está consertado...
    Obrigado
    :-)

    ResponderExcluir
  4. O Saxofonista era o Marcelo Martins, que tocava com o Djavan no cd Ao vivo. Abraços

    ResponderExcluir
  5. Oi Sandro, muito obrigado pela visita e pela importantíssima informação.
    Marcelo Martins é fera, e abrilhantou o espetáculo.
    Volte sempre e um grande abraço

    ResponderExcluir