Total de visualizações de página

domingo, 2 de outubro de 2011

SEXTO DIA DO ROCK IN RIO

O extremo cansaço nos impediu de chegar cedo ao Rock in Rio, por isso perdemos os encontros de Zeca Baleiro & Lokua kanza, Céu & Jorge Drexler, e Erasmo Carlos & Arnaldo Antunes. Mas conferimos na íntegra a grande apresentação do Frejat abrindo o Palco Mundo. O guitarrista e vocalista do Barão Vermelho simplesmente arrebentou, usando toda sua experiência em grandes festivais, ele colocou a multidão no bolso, revesando Rockões com baladas na medida certa. O som estava perfeito e com bastante peso, o que é raríssimo em shows de abertura. Só achei que poderia ter colocado mais músicas da sua carreira solo, como "Eu Preciso Te Tirar do Sério " e "Homem Não Chora". Rolou até a participação de seu filho fazendo solo de guitarra em "Malandragem".
Já com o Skank, o som não estava tão bom, ficando meio abafado durante toda a apresentação. O que não impediu que a banda fizesse um estrondoso sucesso com a platéia, que cantou TODAS as músicas. Samuel Rosa sabe comandar as massas com maestria. Não sou fã do Skank, mas adoro "Dois Rios" e "Resposta", que pra minha tristeza, não foram tocadas.
O Maroon 5 é uma das bandinhas mais água com açúcar do momento. Teve quem tenha adorado, mas eu achei chato... Serviu para que eu descobrisse que eu conheço muito mais canções do Maroon 5 que eu pensava, e para que eu ficasse na cabeça com seu novo hit "Moves Like Jagger". Que musiquinha chiclete!
90% dos presentes estavam ali pra ver Coldplay. Quem acompanha o Blog sabe que eles não são, como posso dizer? Não estão entre as minhas bandas prediletas. Aquela histórias de que suas músicas são muito parecidas e repetitivas, e que são uma espécie de U2 piorado (e eu adoro U2).
Minha opinião não tem muita relevância, pois têm uma enorme legião de fãs apaixonados, fazer o quê?
Mas fato é que fizeram um show curto, e repleto de faixas do recém lançado novo CD. A apresentação de Abril de 2010 na Apoteose foi bem melhor, inclusive no quesito luz e efeitos visuais. Pelo jeito, ninguém se preocupou com isso. E foi bonito de ver e ouvir a galera cantando com vontade o corinho de "Viva La Vida", num dos momentos mais belos e marcantes dessa edição do Festival.

Nenhum comentário:

Postar um comentário