Total de visualizações de página

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

28 de Janeiro de 2012 - LOBÃO NO CIRCO VOADOR

A Lona estava cheia, mas não lotada como na semana passada no “Show de Despedida” de Rita Lee. E o dono da festa, estava em casa; afinal Lobão e o Circo Voador têm tudo a ver. Ambos nasceram artisticamente na mesma época, e juntos tiveram momentos memoráveis. E naquela noite não seria diferente.
Você pode até não gostar dele, mas não há como negar que Lobão é um grande compositor, e uma das cabeças mais privilegiadas da música brasileira. O cara tem opinião sobre tudo, e nunca perde a oportunidade de expô-las, e talvez por isso venha hoje em dia passando por um certo ostracismo, apesar de até pouco tempo atrás comandar um programa na MTV
Se quisesse Lobão poderia tocar um setlist composto só de hits. Mas de forma heróica e persistente, ele prefere montar o repertório de show com músicas que cobrem toda a carreira. Boas canções como “A Vida É Doce”, que apesar de desconhecidas pelo grande público, tem o selo de qualidade do Grande Lobo, e são cheias de atitude.
É exatamente com muita atitude e presença de palco que Lobão se apresenta ao vivo, cercado por dois grandes amplificadores BlackStar e por uma fileira de belas guitarras de 6 e 12 cordas, entre Fender Strato e Telecaster, Rickenbacker e Gibson Les Paul. Lobão é um grande baterista, como guitarrista não é nenhum primor de técnica; mas compensa com muita pegada, tocando o instrumento com raiva, na base da grosseria, ao exemplo de Pete Towshend do The Who, e com muito peso, comanda sua banda. Lobão realiza a grande maioria dos solos, apesar do músico de apoio André Cácia Brava ser melhor guitarrista.
No começo do show a guitarra de Lobão estava altíssima, e como ele senta a mão mesmo, acabava cubrindo o vocal e o resto da banda, que contava ainda com Duda Lima no baixo e Armando Junior na bateria. Todos os músicos mostravam segurança, entrosamento, e o principal: atitude e pegada Rock and Roll.
Muitos dos presentes eram fãs ferrenhos, e tinham todas as letras na ponta da língua. Um cara no gargarejo tinha nas mãos a biografia do Lobão, e ficava levantando o livro, como se fosse um crente erguendo a Bíblia.
O show realmente era para os iniciados, tanto que o primeiro superhit veio só em "Decadence Avec Elegance", a quinta música executada. Mas mesmo quem não era especializado em sua obra não tinha do que reclamar; porque foi uma sonzeira da porra, Rock and Roll na veia da melhor qualidade. E com o som em altíssimo volume, como deve ser todo show de Rock. Saí de lá surdinho, mas de alma lavada.
No meio da apresentação Lobão prova que os brutos também amam, indo ao microfone e anunciando: "Agora vai rolar a sessão 'O Último Romântico'", tocando em sequência algumas de suas grandes baladas: "Vou te Levar", "Por Tudo O Que For", "Noite E Dia", e seu maior clássico: "Me Chama", que já teve regravações de Marina Lima, João Gilberto, entre outros. E ainda ficou faltando "Chorando no Campo".
Depois dedica "Das Tripas Coração" aos amigos Cazuza, Julio Barroso e Ezequiel Neves, que foram pro Céu cedo demais.
Provoca catarze coletiva com a trinca "Vida Louca Vida" ("Essa aqui todo mundo acho que foi feita pelo Cazuza. E ele poderia ter feito mesmo..."), "Vida Bandida" e "Blá Blá Blá...Eu Te Amo (Radio Blá)", todas do seu melhor álbum, "Vida Bandida" de 1987.
Com isso ele se despede, mas volta para o esperado Bis. A galera do gargarejo pede por "A Queda", e Lobão prontamente atende. Depois fazem coro por "Revanche", só que não são atendidos dessa vez: "Porra galera, essa eu não vou tocar porque acho essa música chata pra cacete. Pé no saco total.". Aí sozinho na guitarra manda uma amargurada versão para "Help!" dos Beatles.
Mais 3 sucessos ("Essa Noite Não", "Mal Nenhum" e "Corações Psicodélicos") encerram a apresentação, com a platéia em êxtase, toda suada e feliz.
Lobão oferece ao público Rock and Roll de verdade em estado bruto, com direito a bônus de letras inteligentes. Infelizmente isso tudo é coisa muito rara, não só no que é feito hoje em dia no Brasil.
SETLIST:
Universo Paralelo
Mal de Amor
Bambina
Canos Silenciosos
Decadence Avec Elegance
Os Tipos Que Eu Não Fui
El Desdichado
----------
Tranquilo
A Vida É Doce
----------
Lullaby
Ronaldo Foi Pra Guerra
Robô Roboa
Vou te Levar
Por Tudo O Que For
Noite E Dia
Me Chama
Das Tripas Coração
Agora é Tarde
Vida Louca Vida
Vida Bandida
Blá Blá Blá...Eu Te Amo (Radio Blá)

BIS:
A Queda
Help!
Essa Noite Não
Mal Nenhum
Corações Psicodélicos

6 comentários:

  1. Virou moda esse negócio de publicar postagem incompleta? rs

    ResponderExcluir
  2. Na moral, esse show não vai entrar no meu top 20 de shows preferidos, mas devo admitir que ele é um cara com presença e de opinião, por isso tô muito a fim de ler a autobiografia dele. Apesar da minha indisposição pós gripe e de ter ficado completamente surda, digo que gostei =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mell, vê se para de ficar pedindo presente. Que coisa feia...

      Excluir
  3. Oi Mell,
    sabia que vc ia gostar. Só coloco vc em coisa boa, né? Beijão

    ResponderExcluir
  4. Eu não pedi presente, apenas expressei a minha vontade de ler o livro, oras! Se tivesse pedido, colocaria na cara de pau que queria que você me desse =P

    Menos, senhor, bem menos... rsrs

    ResponderExcluir