Total de visualizações de página

terça-feira, 19 de outubro de 2010

DESVENDANDO A LETRA DE "SMOKE ON THE WATER"

Essa história já é bastante conhecida, mas vale a pena ser contada para aqueles que nunca a ouviram:
Em 1971, o Deep Purple chegou na cidade suiça de Mountreux para gravar gravar um dos seus melhores álbuns: "Machine Head". A formação da banda era a mesma do LP "In Rock": Gillan, Paice, Blackmore, Glover e Lord.
"Machine Head" foi lançado em 1972, trazendo uma série de Rockões, que se tornaram clássicos eternos: "Highway Star", "Never Before", "Space Truckin'", "Maybe I'm a Leo", "Lazy", e a provavelmente a mais famosa, "Smoke on The Water".
É sem dúvida um dos Riffs mais célebres da história, daqueles de reconhecido instantaneo; e como a maioria das idéias geniais, surgiu espontanemente, como conta o vocalista Ian Gillan:
"Precisávamos de mais sete minutos de gravações para o disco, e só nos restava mais um dia. Nosso engenheiro nos perguntou se não podíamos usar a sessão que fizemos para a checagem de som. Mas tinha sido apenas uma jam session. Então juntamos aquelas idéias da jam, com a história dos eventos que rolaram durante a gravação. A maioria das coias que dão certo são criadas bem rápido."
Eles usaram um estúdio móvel alugado dos Rolling Stones (chamado na letra de "Rolling truck Stones thing" e "Mobile"), que seria instalado no complexo de entretenimento e hotelaria que fazia parte do "Cassino de Mountreux" ("the glambing house" - "casa de apostas"), que era localizado às margens do Lago Genebra.
Na véspera das sessões de gravação, o Deep Purple foi conferir os shows que rolavam
no "Mountreux Festival", um dos mais importantes e ecléticos do mundo, que acontece até hoje em edições anuais.
A banda estava na platéia do taeatro do cassino para assistir ao show de Frank Zappa & The Mothers of Invention. Durante a apresentação, alguém do público disparou um sinalizador em direção do teto do palco, começando um incêndio; nos versos da música, o incendiário anônimo é chamado de "some stupid with a flare gun" (algum idiota com um sinalizador). O fogo se espalhou destruindo o palco, todo equipamento do Mothers, e todo o cassino.
O lendário diretor e apresentador do Festival, Claude Nobs salvou várias vidas, ajudando parte da platéia a fugir das chamas; na canção ele é chamado de "Funky Claude", e "entrava e saia correndo" ("running in and out").
O título foi criado pelo baixista Roger Glover, numa sacada genial. Os membros do Deep Purple assistiram o incêndio da sacada do Hotel, do outro lado do lago Genebra, e visualizavam as chamas que vinham pelo alto e formavam fumaça que descia e ficava sob as águas: "Smoke on The Water"!
Com o incidente, o grupo não tinha mais lugar pra instalar seu estúdio móvel. Nobs conseguiu que montassem no Teatro The Pavillion, então começaram o trabalho. Mas como o local não tinha isolamento acústico, tiveram que interromper as gravações pelas sucessivas reclamações dos vizinhos.
Depois de mais uma semana de procura, acabaram alugando o Grand Hotel Mountreux, transformando corredores e escadas em estúdios improvisados. Recomendo o DVD "Deep Purple - Classic Alums: Machine Head", que mostra os detalhes da produção e concepção do álbum, e contém declarações e entrevistas muito interessantes com os músicos e profissionais que trabalharam nas gravações.


Confira a abaixo a letra original com a tradução (clique pra ver ampliado):

E o video de "Smoke On The Water":

Nenhum comentário:

Postar um comentário