Total de visualizações de página

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

"O GAROTO DE LIVERPOOL" ("NOWHERE BOY") TEM SUA PREMIERE BRASILEIRA NO "FESTIVAL DO RIO 2010"

Pra não dizer que eu não participei do "Festival do Rio 2010", assisti a premiere brasileira do filme "O Garoto de Liverpool" ("Nowhere Boy"), que saiu em 2009 na Inglaterra e aparentemente não tem data específica para estreiar por aqui em grande circuito. Fui com muita expectativa, e já havia feito duas postagens sobre o longa NOWHERE BOY (O GAROTO DE LIVERPOOL) EM OUTUBRO NOS CINEMAS e"NOWHERE BOY", LONGA MOSTRA A INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DE JOHN LENNON

Aaron Johnson interpreta o solitário adolescente John Lennon. O longa mostra a infância, a juventude e os seus primeiros momentos como músico. Lennon é um garoto rebelde, abandonado pela mãe, Julia (Annie-Marie Duff), e criado pela autoritária e durona Tia Mimi (Kristin Scott Thomas). John encontra no Rock and roll, um lugar para extravasar seus dilemas e ganhar energia. E ao lado de Paul (Thomas Sangster), começa a trilhar seu caminho para a conquista do mundo com os Beatles.

O roteiro é assinado por Matt Greenhalgh, o mesmo de "Control" a biografia de Ian Cutis do Joy Division, e é baseado no livro "Imagine This: Growing Up With My Brother John Lennon", escrito por Julia Baird. Foi indicado ao BAFTA nas categorias de Melhor Roteiro Original, Melhor Maquiagem, Melhor Efeitos Sonoros, Melhor Figurino, Melhor Trilha Sonora, Melhor Ator e Melhor Atriz Coadjuvante.

Os menos aficionados e atentos talvez não percebam a alusão à "A Hard Day's Night" (primeiro filme dos Beatles lançado nos cinemas), logo no começo, com o acorde da introdução da canção com o mesmo nome tocado, e o jovem Lennon correndo,como na abertura do 'Os Reis do Iê-Iê-Iê'.
Várias situações barra-pesada são mostradas, como quando o diretor de seu colégio o diz que ele não tem futuro nenhum, ou quando perde seu Tio George, seu pai adotivo que foi quem o presentiou o seu primeiro instrumento: uma gaita.
Lennon (Aaron Johnson) e Tia Mimi (Kristin Scott Thomas)


Na adolescência, John descobre que Julia, sua mãe biológica mora a algumas quadras de sua casa. E assim começa a se aproximar dela. Um processo sofrido e complicado.
Julia o apresenta vários discos de Rock, e começa a lhe dar aulas de banjo. Fascinado pelo Rei do Rock, Lennon reclamando da vida , num dos momentos mais interessantes do filme, pergunta a sua mãe: "Por que Deus não me fez Elvis?", e recebe a seguinte resposta: "Porque estava guardando você para ser John Lennon". Sábia palavras, Julia...
John (Aaron Johnson) e Julia (Annie-Marie Duff)

A vida de Lennon é muito sofrida, o que vai transformando em um cara sarcástico, meio amargo e revoltado. Mas é claro que também são mostrados cenas em que ele se diverte, como quando surfava em cima dos ônibus, ou quando descobria a sexualidade com a primeira namorada.
Era um líder nato, e montou e escolheu os músicos e o nome da sua primeira banda, The Quary Men, inspirado na escola Quarry Bank High School , onde John Lennon e a maioria dos integrantes estudavam. Até que depois do primeiro show é apresentado ao garoto Paul McCartney, que impressiona a todos tocando e cantando "Twenty Flight Rock", e depois é convidado pra entrar no grupo. Paul é o responsável por trazer George Harrison, que mesmo sendo o mais novo, tocava mais guitarra que os dois.
Vejam algumas fotos dessa época:
Voltando ao filme, a diretora Sam Taylor Wood consegue costurar toda história, alternando os dramas pessoais de John, com suas descobertas, e a paixão nascente pelo Rock and Roll. O jovem ator Aaron Johnson faz um excelente trabalho, convencendo mesmo que é John Lennon jovem. Acho que isso é um dos maiores elogios que ele poderia receber pelo sua interpretação.
A história da película acaba justamente aonde começa a do filme "Os Cinco Rapazes de Liverpool" ("Backbeat") de 1994, ou seja, quando John e sua banda partem para a cidade alemã de Hamburgo para fazer shows. É o começo da Beatlemania.
Não poderia deixar de registrar a indignação da Mellissa por colocar um ator bonito para o papel de John Lennon, e um feio para o de Paul McCartney (Thomas Sangster), o que segundo ela, é o contrário da realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário