Total de visualizações de página

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Os melhores CDs e DVDs lançados em 2010 (4) - CD SANTANA - GUITAR HEAVEN - THE GREATEST GUITAR CLASSIC OF ALL TIME

Qual a receita para se fazer um bom disco de Rock? A resposta é difícil, e se eu soubesse ficaria rico...
Mas alguns ingredientes são indispensáveis pra se obter um ótimo resultado:
- Grandes músicas no Repertório
- Excelentes músicos nas gravações
- Um bom produtor
- Participações especiais pra dar um bom molho
Então imagine a isso tudo temperar com boas doses da guitarra iluminada de Carlos Santana. O resultado seria de lamber os beiços com certeza.
No novo disco de Santana tem tudo isso, e ainda a covardia do tracklist ser inteiramente composto por clássicos Rockeiros, e ainda por cima cantados por algumas das melhores vozes do Rock de todas as gerações.
Há anos que seu empresário Clive Davis tentava convencer Santana a gravar esse disco, mas o guitarrista se negava alegando que essas canções eram como "monalisas", e que obras-primas não deveriam ser mexidas.
Até que Santana concordou, convidando vários músicos pra participarem das gravações de cada canção, no mesmo esquema dos seus 3 útimos álbuns.
O disco já abre detonando, trazendo o vocalista de Rock que considero o de melhor da atualidade: Chris Cornell. E o cara simplesmente arrebenta no hino zeppeliano "Whole Lotta Love", numa perfomance que deve ter agradado até Robert Plant.
Santana foi meio descuidado no solo, justamente numa parte fundamental da canção, que ficou soando como um improviso que não encaixou perfeitamente. Mas não chega a comprometer.Confira:


Dos Stones foi escolhida "Can't You Hear Me Knocking", que não é uma escolha óbvia por ser pouco conhecida, apesar de possuir um belo riff de guitarra. Scott Weiland (Stone Temple Pilots e Velvet Revolver) manda bem nos vocais, e juntos conseguem uma versão melhor que a original.
Eric Clapton é homenageado por duas vezes. Primeiro como maior sucesso de sua antiga banda The Cream, com Rob Thomas, o parceiro de Santana no sucesso multipremiado "Smooth", que se sai bem em "Sunshine Of Your Love". E depois na belíssima composição de George Harrison "While My Guitar Gently Weeps", que no original dos Beatles conta com solos de Clapton. Nessa o destaque é a bela voz de India.Arie, a participação do violinistas Yo-Yo Ma, e a boa sacada de substituir os solos iniciais de guitarra por violão de nylon, promovendo um bonito resultado. É claro que Carlos também faz a guitarra chorar de forma gentil e sublime.
Não entendi a presença de uma música do Def Lepard, nada contra a banda, só acho que não está no nivel das demais. Resultado: a mais fraca do CD, apesar do esforço do bom vocalista Chris Daughtry.
Mas o título de pior faixa é "Back In Black". A canção do AC/DC tem mesmo a melodia dos vocais com a métrica bem próxima do Rap, mas transformá-la num Hip Hop teve um efeito catastrófico. Confira:


Ray Manzareck, tecladista original do The Doors faz participação discreta sem fazer nenhum solo em "Riders On The Storm", provavelmente pra não concorrer com os longos e estupendos improvisos de Santana. Nos vocais me surpreendeu o bom trabalho de
Chester Bennington do Linkin Park.
Em "Smoke On The Water", Jacoby Shaddix (do Papa Roach) é outro que me faz mudar meu olhar,ou melhor minha audição (rsss) para seus vocais. Talvez seria melhor escolher uma menos manjada do Deep Purple, mas fora isso ficou bem bacana.
Ouvi comentários que o Van Halen não merecia estar nessa lista. Oras, fora o fato de serem uma excelente banda, seu guitarrista Eddie Van Halen é um dos mais influentes de todos os tempos; mas sem dúvida o Van Halen tem músicas melhores que "Dance The Night Away". O interessante é ver Pat Monahan do Train fazendo a voz bem parecida com David Lee Roth.
O sumido Gavin Rossdale (ex Bush) canta "Bang a Gong" do t-Rex, numa versão OK.
Mas o creme de la creme é mesmo é ouvir "Little Wing" na voz rouca do bom e velho Joe Cocker, o mesmo que estorou em Woodstock, festival que também revelou Santana para o mundo. Hendrix ficaria feliz em ouvir os dois juntos interpretando a sua música com alma. Sinta:


Johnny Lang é outro que se destaca em "I Ain't Supperstitious", o garoto canta muito. E é sempre bom ver Santana arrepiando num Blues, e encerrando o CD com muita classe e feeling.
Aposto minhas fichas que um "Volume 2" virá em breve, porque não saiu nesse álbum a anunciada parceria com Scott Stapp (ex vocalista do Creed) em “Fortunate Son” do Creedence Clearwater Revival). E as injustiças da não inclusão de bandas como Aerosmith, Black Sabbath, Dire Straits poderão ser sanadas.

2 comentários:

  1. Vou ter que concordar com vc de novo =) CD fodão!
    Mas "photograph" a mais fraca? Tá bom, tá bom, não tem o mesmo peso das outras, mas fraca é sacanagem!

    Chato =P

    ResponderExcluir
  2. Sabia que vc ia reclamar...
    É que acho que "Photograph" não é um clássico, só isso.
    Beijão

    ResponderExcluir