Total de visualizações de página

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

TIM MAIA NAS BANCAS

Não sei se foi coincidência ou efeito do showzaço do Ed Motta, que o Blog essa semana está totalmente Black. Dessa vez é pra falar sobre o lançamento da Editora Abril, a "Coleção Tim Maia", que chegou na semana passada às bancas do Rio de Janeiro. Reunindo 15 discos da carreira do músico. O CD de lançamento, "Tim Maia", custa R$ 7,90. Os demais volumes podem ser comprados, toda sexta-feira, em bancas e livrarias por R$ 14,90 cada. Sim, o primeiro número é uma isca para os outros mais caros. Mas vale o investimento, se não bastasse a qualidade dos discos, o projeto gráfico e o encarte são muito bem acabados, acompanha um livro de 48 páginas com biografia do músico, trazendo textos sobre o álbum, curiosidades das gravações, fotos de arquivo, letra das músicas e a ficha técnica completa, listas dos músicos que participaram, e reportagens com o panorama político e cultural da época dos lançamentos de cada disco. A série segue os mesmos moldes da "Coleção Chico Buarque", lançada pela mesma editora no ano passado.
Os próximos discos são: "Tim Maia"(1971), "Tim Maia" (1973), "Racional 1", "Racional 2", "Tim Maia Disco Club" (1978), "Tim Maia"(1978), "Nuven"(1982), "Dance Bem" (1990), "Tim Maia interpreta clássicos da Bossa Nova"(1990), "Tim Maia ao vivo"(1992), "Só você"(1997), "What a wonderful world"(1997), e " Tim Maia in Concert"(2007).
O público poderá adquirir o inédito "Racional 3", com canções gravadas na época que Tim entrou em contato com a doutrina "Cultura Racional" e estavam guardadas. Para o lançamento da "Coleção Tim Maia", elas foram remasterizadas e reunidas um novo disco da série Racional. Quem quiser adquirir o disco raro terá que comprar os outros 14 CDs da coleção e registrar os selos dos volumes, no site www.colecaotim.com.br , recebendo o élbum de graça.

O Número 1 é exatemente seu primeiro LP da carreira, lançado em 1970 depois de 13 anos de muito esforço de Tim, e do apoio de artistas de peso como Elis Regina, Os Mutantes e Erasmo Carlos.
O sucesso do disco foi quase instantêneo, transformando num dos intérpretes mais populares do país. "Tim Maia 1970" é o álbum responsável pela introdução e popularização da Soul Music no Brasil. Tim não fez uma cópia do som americano, ele fez a tradução do estilo para os brasileiros, misturando-o com o samba, bossa nova e ritmos nordestinos, num resultado original, sofisticado, genial, que ainda alcançou enorme sucesso, verdadeiro marco na MPB.
Traz várias canções antológicas, três de autoria do amigo e parceiro Cassiano (que também toca e faz backing vocals no disco): "Primavera", "Eu Amo Você" (minha preferida) e "Você Fingiu; além de "Azul da Cor do Mar" e "Cristina" (em duas versões), todas altamentes românticas, com muito suingue, e trazendo arranjos vocais e instrumentais altamente sofisticados. Sem falar na sua voz marcante e potente.
"Coroné Antonio Bento" foi o primeiro sucesso nas rádios, um verdadeiro clássico, onde Tim Maia grita como um perfeito cantor de Rock and Roll. A união do Soul, Rock e forró, servindo de influência para artistas de várias gerações, que fundiram Rock com ritmos regionais, como Novos Baianos, Paralamas do Sucesso e Chico Science e Nação Zumbi.
Há também duas canções em inglês ("Jurema" e "Tributo a Booker Pittman"), o que é muito natural, já que Tim Maia morou nos EUA por 5 anos, onde lá teve contato direto com o som dos mestres Stevie Wonder, James Brown, Ray Charles, Earth Wind and Fire, Marvin Gaye. Em setembro fez uma antológica entrevista ao Jornal Pasquim, ao lado de Rita Lee, soltando várias pérolas como: "Eu gosto de Rolling Stones, Beatles, Stevie Wonder...
Pra mim é o seguinte: primeiramente são os pretos cegos, depois os cegos, depois os pretos, depois os brancos."
Mesmo sendo torcedor do América, compôs e gravou o funk suinguado "Flamengo", uma música quase que instrumental, cheia de metais, e com vocais que se limitam a repetir o nome do clube.
Ainda conseguiu emplacar "Padre Cícero" na novela global "Irmãos Coragem". Sucesso absoluto, que desencadeou a nascente onda da Soul Music Brasileira, com artistas despontando como Hyldon, Toni Tornado e o já citado Cassiano.
Tim Maia foi um dos músicos mais completos de sua geração, multinstrumentista, compositor, arranjador, cabeça privilegiada, sempre antenado, uma das maiores vozes do Brasil. Um cara que faz muita falta, e que tinha muito ainda a oferecer a música popular.
Inclui esse álbum no post OS 10 MELHORES DISCOS DA MPB, ou melhor, os meus 10 preferidos... , confira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário