Total de visualizações de página

terça-feira, 24 de maio de 2011

23 de Maio de 2011 - SEGUNDO SHOW DE PAUL MCCARTNEY NO ENGENHÃO (RJ)

A ficha ainda não caiu. Eu mesmo não acredito até agora: o terceiro show que assisto de Paul McCartney. Dessa vez levei meus pais, que até então nunca presenciaram a uma apresentação do Macca.
Meu pai me levou pras duas primeiras edições do Rock in Rio, foi minha vez de retribuir. Estava preocupado com minha mãe que não tinha know-how em grandes eventos. Mas elas se saiu muito bem.O segundo dia foi melhor em todos os sentidos, fila menor na entrada, conseguimos ficar num local mais perto ainda do palco, quase na grade, e Paul iniciou seu show pontualmente as 21 30h.
Além disso, o setlist veio com várias surpresas: abertura com "Magical Mistery Tour", no lugar de "Hello goodbye", que vinha sendo a primeira do setlist na turnê sul-americana de 2011. As mexidas no repertório tornaram a noite especial. No lugar de "I've just seen a face", entrou "I'm looking through you", do clássico LP "Rubber soul"; ao invés de "Drive my car", "Got to get you into my life"; e "Get back" e "Lettin' go" saíram para entrar "I saw her standing there", e "Coming up" (com direito ao "Tema de Peter Gunn". As duas últimas foram tocadas pela primeira vez na parte brasileira da "Up & Coming Tour".
Houve também mudança no figurino. Elegante, lembrando a fase "Iê-Iê-Iê", de terno e gravata pretos. Até então, Paul só havia tocado no Brasil com blazers em tons de azul. Essas mudanças talvez influenciaram na recepção do público, que foi muito mais calorosa que no domingo. E isso refletiu em McCartney e em sua banda que estavam bem mais empolgados. Resulatado: o show foi melhor que o de domingo.
Bem mais brincalhão, "falou" portugês com muito mais frequência, tentando usar o sotaque carioca: "vocês são óchimos", "dimaisshhh", ”Olá Rio. E aí cariocas?”. “É otchimu estar de volta ao Rio.” “Eu iscrivi este musica para meu amigo John.” “Voceis são maravilhosas.”. Provocando risos e ainda maior participação da galera.
A gravata resistiu só até a oitava música, quando Paul sentando ao piano, a retirou para tocar a linda "The Long And Winding Road", e na sequência "Nineteen hundred and eighty five" e "Let 'em in".
O momento "chora cavaco", com Paul com ukelelê, foi o que mais tirou lágrimas da platéia, com a homenagem a George, em "Something".
Mas estamos falando de um show de Rock, porra! E "Paperback Writer", "Helter Skelter", "Back in The USSR" e "Day Tripper" foram algumas das músicas que fizeram todos pular, dançar, suar e gritar.
Paul continua cantando muito, todas as canções nos tons originais. E o cara não amarela nas partes mais altas. Achei que sua voz estava melhor nos shows do Rio do que em São Paulo. E o puto continua sem beber uma gota d'água durante o espetáculo. É pra humilhar mesmo...
Vale a pena comentar as labaredas, explosões e fogos de artifício em "Live and Let Die", que impressionam ainda mais pra quem está mais perto do palco.
Os fãs também se mobilizaram pra fazer mais agrados. Logo no começo na primeira brecha dada por Paul, o público cantou "We Love You, We Love You", usando a melodia do refrão de "Silly Love Songs", que McCartney visivelmente emocionado retribui com "I Love you too".
Outro momento "flash mob": bolas coloridas foram levantadas em "The End".
A produção durante a fila para entrar no estádio, distribuiu leques que formavam a frase "We Love Paul". Quando os portões estavam para serem abertos, um funcionário avisou com um megafone que não seria permitido a entrada com o objeto, pois o mesmo oferecia perigo a segurança, pois se fosse arremessado poderia cortar ou cegar alguém. O que era verdade, pois o material confeccionado era grosso, e oferecia risco.
Só que os leques foram fabricados pelo patrocinador, o Banco Bradesco, que colocou seu logo em destaque no verso. É claro que por ordem superior, foi liberado. Quem paga manda...
E acabou sendo bacana, pois os leques foram mostrados durante os quatro minutos do corinho de "Na na na Hey Jude!". Alguns mostraram os cartazes com "Na" que foram erguidos pela plateia no domingo.
Próximo ao fim, Paul McCartney retribui o carinho, atendendo a pedidos de quatro jovens fãs, que subiram ao palco para abraçá-lo e pegar autógrafos.
Minha mãe pulava animadíssima ao lado de uma menina com um terço de sua idade, que feliz da vida a abraçava carinhosamente. Quando não estava dançando, chorava emocionada.
Já meu pai ficava paradão, talvez meio sem acreditar que estava finalmente frente a frente com um beatle. Ele se limitava a balbuciar a letra de algumas músicas.
Fiquei muito feliz, e honrado por ser o responsável por oferecê-los esse momento único; e não consegui segurar as lágrimas em "Yesterday", por ser talvez a música que meu pai cante melhor, ou no mínimo a que mais gosto de ouvir em sua voz.
E a minha família não era a única presente. Era possível ver 3 gerações juntas. Crianças felizes da vida, jovens com as letras na ponta da língua, senhores de cabeça branca com os olhos marejados. Todos na mesma sintonia, delirando com a presença mágica de um ídolo, uma lenda viva, que aos 68 anos ainda mantém o olhar doce. Um gênio da música que fazia questão de demostrar que também estava muito feliz de estar ali "vivendo esse momento lindo"; sem nenhuma intenção de fazer média. Paul tem dinheiro suficiente pra nunca mais sair em turnê ou gravar discos. Ele ainda o faz porque tudo isso lhe dá extremo prazer. O mesmo prazer que os fãs sentem em vê-lo e em ouvir suas maravilhas, desde os tempos em que os quatro cabeludos de Liverpool ainda estavam juntos.
No fim da noite, Paul receberia outra surpresa: o coro de "Hello, Goodbye" na voz de 45 mil pessoas, como se todos pedissem pra que ele voltasse em breve. Quatro bichinhos de pelúcia foram atirados ao palco, e Macca agradecia e fazia graça com os mimos, antes de deixar definitivamente o estádio, numa chuva de papel picado colorido.
Acho que a carreira solo de McCartney tem muitas excelentes músicas, o suficiente pra montar um setlist inteiro de sucessos. Mas entendo que é complicado concorrer com o fantástico acervo dos Beatles. Mas mesmo assim, acho uma pena, que fiquem de fora canções maravilhosas como "Maybe I'm Amazed", "Silly Love Songs", "This Never Happened Before", "Ebony and Ivory", "Flaming Pie", "Another Day", "No More Lonely Nights"(sendo que essas duas últimas nunca vi Paul tocando ao vivo); sem contar "My Love" que ficou de fora dos shows do Rio.
Mas o que mais fez falta na apresentação do dia 23 foi não ter a compania da Mell.
SETLIST:
1. "Magical mistery tour"
2. "Jet"
3. "All my loving"
4. "Coming up"
5. "Got to get you into my life"
6. "Sing the changes"
7. "Let me roll it"
8. "The long and winding road"
9. "Nineteen hundred and eighty five"
10. "Let 'em in"
11. "I'm looking through you"
12. "And I love her"
13. "Blackbird"
14. "Here today
15. "Dance tonight"
16. "Mrs. Vandebilt"
17. "Eleanor Rigby"
18. "Something"
19. "Band on the run"
20. "Ob-la-di, ob-la-da"
21. "Back in the USSR"
22. "I've got a feeling"
23. "Paperback writer"
24. "A day in the life / Give peace a chance"
25. "Let it be"
26. "Live and let die"
27. "Hey Jude"

BIS
28. "Day tripper"
29. "Lady Madonna"
30. "I saw her standing there"

BIS
31. "Yesterday"
32. "Helter skelter"
33. "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band"
34. "The end"

12 comentários:

  1. presente muito legal. O show foi maravilhoso, eu e sua mãe adoramos

    ResponderExcluir
  2. Adorei tudo, vc sempre preocupado em falar de seus pais, isso é motivo de muito orgulho até para mim , que tendo conhecido vc ainda bem menino sei um pouquinho daquilo que você escreveu, Lindo!!!!!!!!! Beijocas
    Katia Leal

    ResponderExcluir
  3. Oi Janaína, ele é mesmo o cara!
    bjo

    ResponderExcluir
  4. Oi Pai,
    fico muito feliz por vcs terem gostado.
    Beijão

    ResponderExcluir
  5. Oi Katinha,
    obrigado pelas palavras.
    Me senti orgulhoso por ter dado a meus pais essa alegraia.
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. nooooossa.. amei seus textos. Vc traduz td o que eu senti nos 4 shows em que fui!
    Concordo qdo vc disse q o show do dia 23 estava melhor. Eu vi da arquibancada e todo mundo, mas td mundo meeeesmo estava cantando a plenos pulmões. Foi lindo! E dá pra notar pela alegria dele.. publico animado = Paul 'em casa', a vontade.. hehe

    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  7. Oi Lucinha,
    sem dúvida: Paul é único.
    Bjo

    ResponderExcluir
  8. Valeu Tatii,
    somos abençoados por presenciarmos aqueles shows
    Bjo

    ResponderExcluir
  9. Parabéns por toda matéria!!! Pelo carinho com seus pais!!! e com seu amor!!! Mas realmente nada haver o Paul tirar do setlist MY LOVE, a final a Linda continua sendo muito importante!!! A mulher que quiser concorrer com ela, será muito estúpida!!!
    Mais uma vez parabéns pelo seu bom gosto e coração generoso!!!
    Salete Luz

    ResponderExcluir
  10. Oi Salete,
    muito obrigado por todos os seus generosos elogios.
    Concordo com vc, o Paul vacilou de ter tirado do repertório "My Love".
    Beijão

    ResponderExcluir