Total de visualizações de página

terça-feira, 3 de abril de 2012

01 de Abril de 2012 - JOE COCKER NA HSBC ARENA (RJ)

Fisicamente Joe Cocker não lembra nada o jovem de 25 anos que encantou o mundo todo, com sua apresentação endiabrada no Festival de Woodstock, em 1969. Mas prestes a completar 68 anos, o cantor ainda exibe a voz potente, com seu tradicional timbre rouco, repleto de negritude, apesar do desgaste natural causado pelo passar dos anos. Todo de preto, ele parece tocar um piano imaginário, com seu gestual característico, no qual as mãos não param quietas, como se tivessem vida própria; enquanto se esforça pra dar o seu melhor, e consegue uma perfomance que beira a perfeição, sem errar uma entrada, uma pausa, e sem perder o tom. Ao fim de cada canção, Cocker dá um pulinho engraçado e desajeitado, como se ele mesmo comemorasse a própria atuação. A platéia retribuia com gritos e aplausos, pois sabiam que presenciavam uma lenda viva em ação, e um dos maiores cantores de todos os tempos.
Começando com 30 minutos de atraso, Joe Cocker abriu com "Hitchcock Railway", faixa de seu álbum de estréia, lançado em 1969. Em uma hora e meia, Cocker lembrou de seus sucessos, e executou apenas duas canções do seu mais novo CD "Hard knocks": a faixa-título e "Unforgiven".O som estava muito bom, deixando sua voz sempre em destaque. Sua banda é formado pelos feras Nicholas Milosevich (teclados) e Jeff Levine (órgão Hammond), Jim Black (guitarra), John Bruno (na bateria), as incríveis backing vocals Nichelle Tillman e Andrick Brown, além de Francisco Norberto Fimpel que se revezava entre a percussão e soxofone. A única coisa que destoava era o som do contra-baixo de Onieda James-Rebeccu que estava sem pressão e quase inaudível. Fiquei na dúvida se o motivo era o volume baixo e o som mal regulado do baixo, ou a falta de pegada da moça ao tocar seu instrumento. Ao fim, cheguei a conclusão que a causa foram as duas coisas.Cocker pouco falou com o público, preferiu apenas brindá-los com clássicos e hits, enquanto bebia bastante água entre um número e outro. O primeiro grande momento foi a balada "Up Where We Belong". Ela foi sucedida pela belíssima "You Are So Beautiful", que foi lindamente interpretada com Joe acompanhado apenas pelos dois tecladistas. Emocionate... Só essa parte garantiu o preço do ingresso.
No seu setlist também há músicas para dançar. Com sua letra sugestiva, "You Can Leave Your Hat On" é a número um do HitParede das casas de Striptease; tudo porque serviu como trilha sonora das cenas onde Kim Bassinger tira suas roupas no cult "9 e 1/2 Semanas de Amor".
"Unchain My Heart", retirada do repertório de Ray Charles (uma de suas maiores influências), serviu para ressuscitar a carreira de Cocker de volta ao sucesso, na década de 90, e para ajudá-lo a superar o alcoolismo.
Joe Cocker sempre foi fã assumido dos Beatles, e durante toda sua carreira cantou canções do FabFour. No Rio foram 3: "Come together" (ovacionada), "She came in through the bathroom window" (que passou despercebida pela maioria da platéia) , e como não poderia faltar: "With a little help from my friends", a mais aguardada, sem dúvida seu maior clássico, e ponto alto da noite.
Depois de deixar todo mundo literalmnete de queixo caído, Cocker sai do palco, provavelmente pra dar tempo pras pessoas absorverem tudo o que aconteceu. É claro que ele voltou,e foram dois bis. O primeiro contou com sua versão para "Cry me a River", imortalizada pela incrível voz de Ella Fitzgerald.
O encerramento foi com "Long as I Can See the Light" grande canção do Creedence Clearwater Revival, que foi cantada de forma tão particular, que pareceu que John Fogerty a compôs especialmente para a voz de Joe Cocker.
Ao contrário do show de Roger Waters, a apresentação de Cocker não tinha explosões ou qualquer efeito especial. Era só música. Mas música da melhor qualidade.
Setlist:
Hitchcock Railway
Feelin' Alright
The Letter
Unforgiven
When The Night Comes
Up Where We Belong
You Are So Beautiful
Hard Knocks
Come Together
You Can Leave Your Hat On
Unchain My Heart
With a Little Help from My Friends

Bis:
Shelter Me
She Came in Through the Bathroom Window
Cry Me a River

Bis 2:
High Time We Went
Long as I Can See the Light

4 comentários:

  1. Que lembrança boa Joe Cocker,cresci escutando Joe Cocker, pois meus pais sempre foram admiradores desse grande talento.Me fez lembrar da minha infância, pois dançava compulsivamente Unchain My Heart rsrs,até pq meus pais não se cansavam de ouvir.Mas a minha preferida é You Are So beautiful,foi uma pena eu ter perdido esse show,mas aqui pelo seu blog,deu pra ter uma grande noção de como foi emocionante, Foi um showzão não foi? Mais uma vez parabéns pela Resenha. Alessandra Duarte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ale,
      foi um showzão mesmo. O cara ainda canta muito.
      Valeu!
      Beijão

      Excluir
  2. Showzaço! O velhinho canta muuuito!

    Mellissa Martins

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Mell, o cara ainda tem muita lenha pra queimar...

      Excluir