Total de visualizações de página

sábado, 18 de setembro de 2010

40 ANOS DE SOLOS NO PARAÍSO - JIMI HENDRIX

Há 40 anos, em Londres, no dia 18 de setembro de 1970, James Marshall Hendrix morria aos 27 anos, sufocado pelo próprio vômito. O mundo perdia um dos músicos mais revolucionários da história.
Sem dúvida o mais influente guitarrista, um dos poucos que conseguiu mudar a música. Sua influência não ficou restrita ao Rock, gênios como Miles Davis fizeram a cabeça com o som rasgante da guitarra de Hendrix.
Vários de seus contemporâneos eram fãs ardorosos, entre eles Paul McCartney eo Beatles, Eric Clapton, Jeff Beck, Jimmy Page, os Rolling Stones, Ritchie Blackmore, Carlos Santana, Pete Towshend, Frank Zappa, entre outros.
McCartney sempre foi um dos maiores entusiastas de seu talento, desde que assitiu sua apresentação no Festival Pop de Monterey, aonde o Hendrix protagonizou a famosa cena de atear fogo em sua guitarra. Enquanto Jimi estraçalhava com seus solos, Paul, os outros Beatles, Clapton e Towshend se olhavam e balançavam a cabeça, dizendo um pro outro: "Sim, sim... Issso é muito bom!"
Os mesmos caras que o veneravam também eram cultuados e admirados por Hendrix. Chas Chandler, ex-baixista dos Animals foi o seu descobridor, fazendo papel de seu empresário, o convidou a ir para a Inglaterra. Uma das condições para viajar foi poder conhecer Eric Clapton. Em vários momentos e em apresentações na TV, Jimi homenageava Clapton e sua banda The Cream, fazendo um número com "Sunshine Of Your Love".
Eric e Jimi nutriam uma grande admiração mútua, e se tornaram muito próximos. Com a morte de Hendrix, Clapton que usava basicamente guitarras da marca Gibson, passa a usar quase que exclusivamente Fender modelo Stratocaster em tributo ao amigo.
Existe uma história de que Jeff Beck ao ver Hendrix tocando, teria anunciado o fim de sua carreira, por achar que nunca chegaria aos seus pés. Ao saber disso Jimi teria ligado para Beck, lhe dando um senhor esporro, dizendo que Beck sempre foi uma inspiração para ele.
Dois dias depois do lançamento da revolução sonora que foi o LP "Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band", Hendrix abriu seu show com a primeira faixa do disco, deixando os Beatles emocionados com a homenagem.
Hendrix começou sua carreira acompanhando estrelas como Little Richard, Isley Brothers e Sam Cooke. em Londres formou o trio The Jimi Hendrix Experience, com o fera das baquetas Mitch Mitchel, e Noel Redding que originalmente era guitarrista e passou para o baixo para completar o grupo. Surgia um dos maiores power trios do mundo, ao lado do The Cream, Rush, The Police, ZZTop, Emerson, Lake & Palmer...
Mitcth Mitchel, Hendrix e Noel Redding

Em 1967, eles lançam o single "Hey Joe" que consegue grande sucesso. O LP de estréia, "Are You Experienced?" foi lançado no mesmo ano, e contava com um dos seus maiores hinos "Purple Haze", além de petardos como "Fire" e "Foxy Lady". O primeiro e os outros dois discos de estúdio lançados em sua carreira, “Axis, Bold As Love (1967) e “Electric Ladyland” (1968) foram produzidos pelo engenheiro de som Eddie Kramer, que ajudou muito a Jimi a criar seus efeitos e sonoridades.
Foi um dos primeiros a experimentar com a gravação com esterofonia (o som da guitarra e de outros instrumentos passavam de um canal para o outro, dando o a impressão que o som atravessa a cabeça de quem escuta com fones de ouvido) e phasing (consequência da sobreposição do mesmo fragmento musical, mas com uma pequena defasagem no tempo).
Apesar das grandes restrições técnicas da época, Hendrix com poucos recursos tirava sons inacreditáveis através das distorções obtidas de amplificadores valvulados, dando destaque para sons crus.
Foi um dos músicos responsáveis pela popularização do pedal wah-wah, em canções como "Voodoo Child". Foi Frank Zappa que o apresentou a esse pedal de efeito.
A microfonia era um dos maiores problemas e tormentos para um guitarrista na década de 60, mas Jimi Hendrix a usava em favor próprio; os sons que seriam irritantes causados pela microfonia, em suas mãos viravam arte, como na sua versão do "Hino Americano" tocada no Festival de Woodstock, em que sons distorcidos da sua guitarra pareciam fazer dueto com o barulho das bombas da Guerra do Vietnã.Ao vivo Hendrix era o cão. Não foi o primeiro a quebrar a guitarra no palco, pois Pete Towshend e os outros integrantes do The Who já o faziam a muito tempo, mas a diferença que enquanto o instrumento era destruído, Jimi continuava a tirar sons maravilhosos dele. Sem contar que tocava com a guitarra de costas, com os dentes e com a língua.
Com o tempo ele foi cansando com essa parte circence de seus shows, e foi se limitando a tocar guitarra, o que as vezes criava certo desconforto com o público que o queria ver fazendo as estripulias que lhe deram fama.
Já ouvi muitas declarações de guitarristas como Pepeu Gomes, Toni Belotto dos Titãs, Steve Vai e Joe Satriani dizendo que passaram a tocar guitarra após ver Jimi Hendrix em ação. Sem dúvida uma referência eterna.
Jimi com uma Gibson modelo Flying V, numa das raras vezes em que apareceu usando uma guitarra que não fosse Fender Stratocaster.

Nenhum comentário:

Postar um comentário