Total de visualizações de página

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

FRANK ZAPPA É HOMENAGEADO EM SUA CIDADE NATAL

Frank Zappa, um dos maiores gênios da música do século XX, foi homenageado com um busto em Baltimore (Estados Unidos), sua cidade natal.
Obra foi doada por uma organização não governamental da Lituânia. O busto do guitarrista norte-americano foi colocado em frente a uma biblioteca pública que fica localizada na rua que também recebe seu nome.
O prefeito Stephanie Rawlings-Blake declarou durante a inauguração: "O espírito de Frank Zappa está vivo e bem em Baltimore."
O músico que faleceu em decorrência de um câncer de próstata em 1993, é muito admirado no leste europeu. No começo de 1990, Zappa visitou a Tchecoslováquia por pedido do presidente Václav Havel, e foi convidado a servir como consultor para o governo em assuntos comerciais, culturais e turísticos. Havel era um fã de Zappa que tinha uma forte influência na cena avant-garde e underground do leste europeu nos anos 1970 e 1980. Zappa entusiasmado e começou a se encontrar com autoridades corporativas interessadas em investir na Tchecoslováquia. Dentro de poucas semanas, entretanto, a administração dos EUA colocou pressão no governo tcheco para desfazer a nomeação. Havel fez então de Zappa um consultor cultural não oficial. Zappa também planejava desenvolver uma empresa de consultoria internacional para facilitar negócios entre o antigo bloco soviético e o bloco capitalista.
Sempre ligado em política, e sempre estimulou os jovens e seus fãs a votarem. Em 1985, testemunhou e discursou no Senado americano, para o Comitê de Comércio, Tecnologia e Transporte, atacando a "Parents Music Resource Center" (PMRC - "Centro de Recurso Musical dos Pais"), uma organização co-fundada por Tiper Gore, ex-esposa do então senador Al Gore. A PMRC era formada por muitas esposas de políticos, incluindo esposas de cinco membros do comitê, e foi fundada para chamar a atenção para a publicação de letras com conteúdo sexual ou satânico. Por ser contra a qulaquer tipo de censura, Zappa classificou a proposta de extorsão" da indústria musical. No seu discurso preparado, ele falou:
"A proposta da PMRC é uma peça doentemente concebida que falha ao entregar qualquer benefício real às crianças, infringe as liberdades civis de quem não é criança, e promete manter a corte ocupada por anos com problemas de interpretação e constrangedores inerentes ao desenho da proposta. É meu entendimento que, na lei, as publicações da Primeira Emenda são decididas com preferência pela alternativa menos restritiva. Neste contexto, as demandas da PMRC são equivalentes a tratar caspa com decapitação ... O estabelecimento de um sistema de classificação, voluntário ou de outro modo, abre a porta para uma parada interminável de programas de controle de qualidade moral baseados em coisas que certos cristãos não gostam. O que acontecerá se o próximo monte de esposas de Washington demandar um "J" grande e amarelo em todos os materiais escritos e apresentados por judeus, para salvar crianças desamparadas da exposição à oculta doutrina sionista?"
Além de um artista muito a frente de seu tempo, Frank Zappa era um cérebro privilegiado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário