Total de visualizações de página

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

FÃ É FÃ

Peter Frampton, 60 anos de idade, um dos maiores guitarristas do Rock, um dos maiores fenômenos doas Anoas 70, dono de vários discos de ouro. Com tudo isso, numa carreira de quase 45 de música, quando perguntado: qual foi o momento máximo de sua carreira?

Resposta:

“O grande momento de minha vida foi quando sentei no Abbey Road Studios ao lado de George Harrison. Estávamos eu à esquerda e ele à direita observando Phil Spector na cabine, era 1971 eu acredito. Eu tinha acabado de deixar o Humble Pie e gravei alguns trechos acústicos no ‘All Things Must Pass’ e entre uma música e outra eles tinham que trocar os tapes, o que levava de 10 a 15 minutos, daí eu e George ficávamos fazendo uma Jam”.



Fazendo parte do Pixies, uma das mais cultuadas bandas dos Anos 90, o baterista David Lovering disse que a melhor coisa de ser um rockstar e de ser um integrante do Pixies foi a oportunidade de conhecer de perto os membros do Rush, banda para a qual a maioria dos fãs de indie rock costuma torcer o nariz.

“Para mim foi muito importante, foi incrível. Tirei uma foto com o Geddy (Lee, baixista) e o Alex (Lifeson, guitarrista do Rush), parecia uma nova formação da banda”, brinca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário