Total de visualizações de página

domingo, 20 de março de 2011

18 de Março de 2011 - ARNALDO ANTUNES NO TEATRO SESI JACAREPAGUÁ

Ao entrar no belo Teatro SESI Jacarepaguá, fiquei decepcionado ao perceber que o show de Arnaldo Antunes não seria com banda, mas a decepção se transformou em curiosidade ao tentar imaginar como seria uma apresentação intimista, acompanhado por dois violões, desse que considero ao lado de Cazuza, o maior poeta do Rock Nacional.
Acompanhado por Chico salem (violões) e Betão Aguiar (violões e guitarra), Arnaldo privilegio as canções, mostrando o lado mais tranquilo de suas composições e parcerias como as com seus amigos Paulo Miklos, Liminha e Carlinhos Brown.
Em plena turnê de divulgação do seu CD/DVD "Ao Vivo lá em Casa", ele não deixa de cantar as novas músicas, com arranjos modificados para o formato, como a irreverente "Invejoso", com a melodia e harmonia altamente influenciada por artistas como Odair José.
Quase todas receberam novos arranjos, e algumas surgiam com roupagem totalmente diferentes do original, como "Sol" que se transformou em uma moda de viola.
Um show à parte é vê-lo dançando de forma peculiar, como se estivesse com uma banda com bateria e tudo que tem direito. Seu modo próprio de dançar é único, mesmo que alguns comparem com David Byrne do Talking Heads; eu apenos identifico nos dois a esquisitisse e excentricidade de seus movimentos pouco comuns, sendo os dois bastante diferentes entre si.
Atualmente é raro ver Arnaldo Antunes usar a voz de forma gritada, como era costume conferir em Rocks pesados dos Titãs cantados por ele, como "Lugar Nenhum" e "Saia de Mim".
Atualmente canta de forma mais suave, utilizando tons baixos, demonstrando grande alcance nos graves, característica que o diferencia da maioria dos vocalistas atuais.
Sem dúvida, além de sua perfomance de palco super original, o destaque são suas letras inspiradíssimas, que já foram interpretadas por grandes e famosas vozes, como em "Socorro" que já ganhou versões de Cássia Eller e Gal Costa, "Alegria" com Maria Bethânia, e "Saiba" que já foi gravada por Adriana Calcanhoto. Sem contar as centenas gravadas pela amiga e parceira Marisa Monte.
Arnaldo comprova que tem uma sólida e bem sucedida carreira solo, mas não renega seu passado de "Titã", até porque tem orgulho de ter feito parte de uma das bandas mais importantes da música brasileira, e coloca no setlist duas de sua ex-banda: "Não Vou Me Adaptar" e "Pulso", que encerra a noite.
Só lamento que foi muito curta a duração da apresentação, pouco mais de 70 minutos, que foram insuficientes pra caber as inúmeras obras de destaque desse cara que traduz perfeitamente o sentido da palavra "Artista".
SETLIST:
1- Fim do Dia
2- Sem Você
3- Saiba
4- Cabimento
5- O Sol
6- Longe
7- Invejoso
8- Consumado
9- Se Tudo Pode Acontecer
10- Não Vou Me Adaptar
11- Socorro
12- Debaixo D´Água
13- Alegria
14- Num Dia
15- O Silêncio

BIS:
16- Essa Mulher
17- O Pulso

Fotos de Mellissa Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário