Total de visualizações de página

terça-feira, 6 de outubro de 2009

01 de Agosto de 2009 - SHOW DO JORGE VERCILO NA FUNDIÇÃO PROGRESSO


Foi em 2002 a primeira vez que fui a um show de Jorge Vercilo, a apresentação aconteceu no Teatro SESC Tijuca. Ainda não contava com essa coleção de Hits, mas fiquei impressionado com sua perfomance ao vivo e com seu grande talento. Naquela noite presenciei um músico completo: violonista de mão-cheia, cantor afinadíssimo, compositor de talento, domínio absoluto no palco e muito carisma com a platéia.A banda que o acompanhava na época era excelente, formada pelo baixista Alexandre Cavallo, baterista Christiano Galvão e o guitarrista Zeppa.
Dessa vez Jorge Vercilo se apresentou em outro palco carioca: a Fundição Progresso. O show contou com uma abertura especial com o encontro de quatro amigos de Vercillo: os parceiros Dudu Falcão e Jota Maranhão, além dos cantores Bena Lobo e Max Viana.
Infelizmente quando cheguei na Lapa, o show de abertura já tinha encerrado, mas os quatro cantores voltatam ao palco durante a apresentação de Vercillo, para participações especiais. Cada um cantou uma música diferente, como Jota Maranhão que fez dueto com Jorge em "Encontro das Águas", e Max Vianna que dividiu os vocais com o anfitrião da noite em "Final Feliz" (originalmente gravada pelo seu pai, Djavan).
Pisando no palco da Fundição pela primeira vez pra divulgar o CD e o DVD ao vivo "Trem da Minha Vida", lançados no início deste ano, ele é acompanhado por uma nova superbanda formada por Marcelo Costa (percussão), André Neiva (baixo), Claudio Infante (bateria), Jessé Sadoc (sopros), Glauton Campello (teclados), Bernardo Bosisio (guitarra) e Glauco Fernandes (violino).
A apresentação contou ainda com algumas surpresas no roteiro. Além das participações já citadas, e de músicas que não fazem parte do DVD como "Cartilha" e "Deve Ser", Vercillo também preparou uma homenagem a Michael Jackson: uma versão de "Rock With You", que virou "Quero Ser Feliz". Ele explicou que já cantava essa música no início da carreira e agora voltou a cantá-la pra esse tributo.
A maior parte do roteiro do show "Trem da Minha Vida" está calcado em músicas recentes da sua carreira, como a canção que dá nome ao show, além de "Devaneio", "Vôo Cego" e o samba-salsa "Toda Espera", todas essas três do disco "Todos Nós Somos Um". O projeto "Coisa de Jorge" (2007), que uniu Vercillo aos Jorges Benjor, Aragão e Mautner também é relembrado com "São Jorges" e "Líder dos Templários".
Os antigos sucessos também foram bem reperesentados, mas com novos arranjos: "Homem-Aranha" ganhou uma versão jazzística, em um estilo Glenn Miller. Já "Monalisa", que era um pop latino, foi transformada em uma salsa.
Outro momento de destaque foi a revelação feita por Vercilo sobre a inspiração para compor a letra de Fênix, parceria com Flavio Venturini (que compôs a melodia). Ele explicou que escreveu a música pensando no Milton Nascimento, e nos problemas que passou com de doença e na recuperação que teve, como se ressurgisse das cinzas. Então dedicou essa música ao Bituca que estava presente na platéia. Com um arranjo novo, no estilo rock progressivo, e com direito a solo de bateria magistral de Claudio Infante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário