Total de visualizações de página

sábado, 10 de outubro de 2009

22 de Agosto de 2009 - SHOW DOS PARALAMAS DO SUCESSO - CITIBANK HAL


Depois de lançar o excelente "Brasil Afora", e de estrear a temporada carioca no Canecão, os Paralamas chegam ao palco do Citibank Hall, pra mostrar que continuam sendo uma das melhores bandas da América Latina.
Com um belo e pano de fundo que evocam as cores vivas do artesanato nordestino, e um trabalho bacana de iluminação, a banda e seus músicos de apoio João Fera (teclados e violão), Bidu Cordeiro (trombone) e Monteiro Jr. (sax), desfilam seu caminhão de hits e as boas músicas do disco novo (tocando cinco novas, sendo que 3 já estão nas rádios: "A Lhe Esperar", "Meu Sonho", "Quanto ao Tempo ).
E já na abertura rolou uma delas, "Sem Mais Adeus" (de Carlinhos Brown e Alain Tavares). O show tem o clima de uma verdadeira festa, e a sequêmcia "Dos Margaritas", "Pólvora", "O Beco" e "Ela Disse Adeus" colocou a galera pra dançar.
Depois vieram as duas belas baladas "Cuide Bem do Seu Amor" e "Romance Ideal".
Em “Perplexo” Herbert abriu os braços e gritou: “Mas eu ainda estou vivo”, a reação da platéia foi de apalausos a esse verdadeiro guerreiro. É emocionante e impressionante ver a sua garra, e constatar que ainda possui a pegada que o fez um dos melhores guitarristas do país.
Antes de tocar "Selvagem" ele anuncia: "Essa que vamos tocar a muito de vocês não eram nascidos". A frase é verdadeira, e mostra que a banda vem conseguindo renovar e aumentar seu público.
Um set acústico, com mudança de clima e de cenário, Herbert e Fera no violão, Bi no baixolão, Barone na caixa e com um pequeno bumbo, Monteiro e Bidu na percussão. Com Com duas canções que remete, ao Nordeste, “Mormaço", do disco novo e “Rio Severino,” do CD “Severino" e duas românticas "Uns Dias" e "Caleidoscópio". Acho que essa música deveria ser tocada no arranjo normal, pois sempre foi um dos pontos altos de todo shows ouvir os solos bluseiros inspirados de Hebert.
João Barone, com simplicidade, mostra porque é considerado um dos melhores no seu instrumento; é sempre uma aula vê-lo tocar. E para a surpresa de todos, Barone assume os vocais de "O Vencedor", música da banda Los Hermanos.
Antes de cantar, porém ele faz piada com um dos absurdos que às vezes acontece no CitiBank Hall: colocar a pista com o público em pé, atrás de um mar de mesas em shows de Rock. Já presencie isso com Deep Purple, Barão Vermelho, Ira! e no show do G3 (com Joe Satriani, Steve Vai e Robert Fripp). Além do fato de ser ridículo, porque ninguém vai a um show de rock pra ficar sentado, acaba esfriando o show e desanimando a banda, porque a galera que dança e está mais animada acaba ficando longe dos músicos. João soltou a seguinte pérola: "O pessoal das mesas aqui da frente mandou avisar pra galera que está em pé aí atrás, que o risole tá uma delícia. Já o pessoal lá de trás mandou falar pra galera das mesas, que viemos aqui pra dançar e não comer."
A galera foi ao êxtase com as 3 últimas antes do Bis: "Lourinha Bombril", "Alagados" e "Uma Brasileira", que surgiu com o novo arranjo, com a mais rápido, reflexo provavelmente das parcerias com a Banda Calypso (urgh!).
Em Lanternas dos Afogados, o já esperado belíssimo solo de guitarra. Mandaram "Sonífera Ilha" dos Titãs, parceiros de estrada da última turnê conjunta com os Paralamas.
O encerramento foi com "Ska" e "Vital e sua Moto", e todo mundo foi embora feliz da vida. O show foi tão bom, que nem a ausência de algumas das minhas favoritas ("Óculos", "Quase Um Segundo" e "Tendo a Lua") decepcionou.
Longa Vida aos Paralamas!

Setlist:
Sem Mais Adeus
Dos Margaritas
Pólvora
O Beco
Ela Disse Adeus
Cuide Bem do Seu Amor
Romance Ideal
Bora-Bora
Perplexo
Meu Sonho
A Lhe Esperar
Selvagem
O Calibre
Meu Erro
Mormaço
O Rio Severino
Caleidoscópio
Uns Dias
O Vencedor (Los Hermanos)
A Novidade
Quanto ao Tempo
Lourinha Bombril
Alagados
Uma Brasileira
Lanterna dos Afogados
Sonífera Ilha
Ska
Vital e sua Moto

Nenhum comentário:

Postar um comentário