Total de visualizações de página

domingo, 5 de maio de 2013

27 de Abril de 2013 - DJAVAN no VIVO-RIO

"Rua dos Amores" é o mais novo álbum de Djavan lançado no ano passado, o primeiro autoral desde 2007. Também o nome do seu novo show, que traz de volta a sua banda o fantástico baterista Carlos Bala, que ficou mais de dez anos afastado.
Em seua nova turnê, Djavan aponta novos caminhos, sem esquecer de valorizar as rotas já percorridas. Apresentando sete das treze músicas do novo CD, seu setlist é inteiramente composto por canções de sua autoria, totalizando 24 da extensa e variada obra desse artista genial.
Djavan, assim como Stevie Wonder e Paul McCartney, carrega a música dentro de si. Músico completo: cantor de belíssima voz, compositor inspirado, letrista genial, arranjador sofisticado, violonista iventivo, intérprete emocional; ele é um mestre da música que nos enche de orgulho por ter nascido no Brasil.
Djavan desfila seus hits e canções menos conhecidas, com uma banda mais do que afiada e totalmente entrosada, formada só por feras e virtuoses: Glauton Campello (teclados), Jessé Sadoc (trompete e flugelhorn), Marcelo Mariano (baixo), Marcelo Martins (saxofone e flauta), Paulo Calasans (teclados), Torcuato Mariano (guitarras), além do já citado Bala.
Tudo atrelado a muito requinte, perceptível desde o climático primeiro número, "Rua dos Amores", cheia de lirismo, ouvida no palco vazio, com Djavan ainda nos bastidores; até a última música do show, "Sina" , apresentada em arranjo dançante, fechando o Bis com toda platéia em pé em frente ao palco.
Vestido inicialmente com uma camisa azul turquesa, que interage bem com a excelente luz, e com o pano de fundo onde estão pendurados várias folhas de papel branco, onde são projetadas imagens que proporcionam belos climas que se modificam a cada canção.
Esse fundo se despenca na décima canção, a salsa "Irmã de Neon", resgatada do excelente CD "Malásia" de 1996.
O baixo fukeado de Marcelo MAriano em "Pecado", outra música do seu novo trabalho, demosntra a habilidade de Djavan de transitar pelo universo pop, assim como no hit "Acelerou", com a letra sacaninha sobre paquera e sedução.
"Bangalô", que já pode ser ouvida nas rádios,  inicia o set calcado em sua voz e violão do artista, e traz uma letra cheia da mais pura desilusão e melancolia. Na mesma onda  vem "Vive", doce balada cedida por Djavan para o último álbum de Maria Bethânia ("Oásis" de 2012), sendo essas duas faixas as mais bonitas do CD "Rua dos Amores".
Por falar em beleza, um dos momentos mais lindos do show foi na eterna "Meu Bem Querer", executada com o arranjo fiel da gravação original de 1979. Já em sua introdução belíssima, foi o primeiro momento em que tive que segurar a onda pra não chorar.
Outra inédita "Anjo de Vitrô" ganhou destaque ao vivo, pelo maravilhoso trabalho de Glauton Campello nos teclados. "Ares Sutis", iniciada somente pela voz e violão, vai ganhando a adesão da banda no meio, e assim como o clássico "Tenha Calma", se mostra como canção composta por Djavan sob ótica feminina.
Djavan pediu orações para a recuperação de Dominguinhos, o enceheu de elogios, e contou como nasceu a parceria musical que originou "Retrato da Vida".
Em "Cigano", Jessé Sadoc brilha intensamente com seu trompete, num número bem suingado; assim como "Asa", perfeita para quem admira o groove singular de Djavan.
Já perto do fim do show, o cantor caiu no samba com "Flor de Lis" e "Serrado", num dos momentos de  maior participação da platéia. Os sambas são superados em manifestação popular apenas por "Oceano", o super hit levada somente com a voz e o violão, e que apresentou o coro mais forte da noite, e foi sucedida pelos apalusos mais fortes, calorosos e empolgados de toda a apresentação.
No fim, Djavan pede para o público levantar e chegar perto do palco para dançar em "Samurai" e "Seduzir", esta com novo arranjo num formato para as pistas de dança, com Carlinhos Bala arrepiando com batidas quebradas em complexas divisões.
Eu que não sou bobo nem nada, fui lá pra frente. E foi de la que conferi o Bis que começou com a balada "Nem Um dia", seguida por outrogrande hit "Se", e finalizando com a já citada "Sina".
No show "Rua dos Amores", Djavan prova estar em grande fase, com a voz perfeita, e comprova que sua obra requintada pode e deve ser apreciada pelo povão, que infelizmente consome lixo musical, sem ter sequer a idéia do que está perdendo.
SETLIST:
1- Rua dos Amores
2- Pecado
3- Acelerou
4- Já Não Somos Dois
5- Asa
6- Meu Bem Querer
7- Vive
8- Curumim
9- Mal de Mim
10- Anjo de Vitrô
11- Irmã de Neon
12- Bangalô
13- Oceano
14- Doidice
15- Ares Sutis
16- Retrato da Vida
17- Serrado
18- Flor de Lis
19- Cigano
20- Samurai
21- Seduzir

BIS:
22- Nem Um Dia
23- Se
24- Sina

Nenhum comentário:

Postar um comentário