Total de visualizações de página

quarta-feira, 8 de maio de 2013

CHORÃO (1970-2013)

Nos últimos 3 meses estive relapso com o Blog. Deixei de comentar várias coisas relevantes na música. Estou com várias postagens atrasadas, e devagar vou tentando colocar as coisas em ordem.
Nesse período a música sofreu várias perdas. Faço questão de prestar a minha homenagem aos músicos que se foram, mas deixaram seu legado e sua arte para a eternidade.
Por ordem cronológica, o primeiro é Chorão, o vocalista do Charlie Brown Jr, que faleceu no dia 6 de Março de 2013.
A essa altura já foi confirmado que a causa da morte foi overdose de cocaína, o que é um fato para se lamentar, pois Chorão era jovem, completaria 43 anos em 9 de abril, e é mais um que perdeu a vida por causa do desespero, da tristeza e do vício. Ele foi encontrado em seu apartamento pelo seu motorista e amigo.
Outro fato lamentável foi como a Imprensa sensacionalista se aproveitou das circunstâncias da morte para fazer polêmica e conquistar ibope, de forma bastante apelativa e desrespeitosa. Mas isso também não é novidade, fizeram a mesma coisa com a Cássia Eller e com tantos outros.
Apesar do Charlie Brown Jr ter chamado a minha atenção quando apareceu nas rádios em 1997, e deu ter em casa os três primeiros CDs, nunca fui fã da banda e muito menos do Chorão. Porém sempre achei o som interessante e de certa forma até original. Sempre gostei muito do Pelado, baterista original do grupo.
A única música que realmente gostava era o ska "Zóio de Lua", que tem o instrumental bastante inspirado nos Paralamas do Sucesso. Vale a pena ver o clipe, que tem a participação da Luize Altenhofen de biquininho.

Em 21 anos de banda, o Charlie Brown Jr contou com oito músicos em cinco formações diferentes. O único integrante que havia passado por todas as formações foi o próprio Chorão. Apesar do entra-e-sai de músicos, a banda nunca deixou de ter, além do vocalista Chorão, pelo menos um dos integrantes de sua formação original, que ainda tinha Champignon (baixo), Marcão (guitarra), Thiago Castanho (guitarra) e Renato Pelado (bateria).
Acho que a banda começou de forma promissora, mas com o tempo entrou numa de fazer plágio de si mesmo. E na verdade nunca gostei muito do estilo de Chorão cantar. Na verdade ele nunca foi cantor, estava mais pra Raper.
É foda ouvir gente falando que Chorão era um poeta. Menos, bem menos. Ele até escreveu algumas  letras interessantes, mas não mais que isso.
Seu comportamento explosivo causou alguns problemas e colecionou alguns desafetos. O mais famoso foi ter agredido Marcelo Camelo em um aeropoto.
Nem os colegas de banda ficavam imunes. Veja esse video em que Chorão esculacha  Champignon no palco em pleno show:

Chorão era uma figura polêmica, mas seus amigos como Rappin Hood, Marcelo Nova e Marcelo D2 garantem que ele era gente boa e tinha um enorme coração.
Muita gente, quase uma geração inteira de jovens no Brasil começou ouvindo Rock por causa do Chorão e do Charlie Brown Jr.
Por esses motivos e pela tristeza de mais um talento desperdiçado pela droga que lamento muito a sua morte.


Nenhum comentário:

Postar um comentário