Total de visualizações de página

sábado, 14 de agosto de 2010

LANÇAMENTOS QUE VALEM COMO DOCUMENTOS

Em outubro serão lançadas duas compilações que valem muito como documento histórico e biográfico.
A EMI vai lançar no dia 4 de outubro uma nova compilação de canções de Syd Barrett, um dos cofundadores do Pink Floyd. Barrett acabou pirando (literalmente) antes da banda atingir sucesso mundial; e acredito que sua importância para o Pink Floyd é bem mais como uma referência e ideais, do que pelo lado musical em si. Ele era uma espécie de Guru para Roger Waters e compania.
Não gosto da fase do Pink Floyd com Syd Barrett, mas conheço quem até prefira. Mas de qualquer forma, acho que o CD
"An introduction to Syd Barrettӎ um importante registro.
Reunirá
canções compostas por Barrett tanto no Pink Floyd quanto em carreira solo. David Gilmour assumiu a produção-executiva do álbum, colaborando com os engenheiros de som Andy Jackson e Damon Iddins na remixagem de cinco faixas: "Octopus", "She took a long cool look", "Dominoes", "Here I go" e "Matilda mother" — Gilmour também acrescentou linha de baixo à música "Here I go".

O outro lançamento é do selo Dark Horse Records, uma caixa que vai reunir toda a obra do músico indiano Ravi Shankar produzida em colaboração com George Harrison. "Collaborations" chegará às lojas dos EUA no dia 19 de outubro para marcar o 90º aniversário do citarista e vai incluir os álbuns "Shankar family & friends" (1974)", "The Ravi Shankar Music Festival from India" (1976) e "Chants of India" (1997), além do DVD com a performance de Shankar gravada no Royal Albert Hall, em Londres, em 1974.
A luxuosa caixa, terá um livro de 56 páginas prefaciado pelo compositor norte-americano Philip Glass, um histórico do trabalho de George e Ravi escrito por eles mesmos e fotografias raras do arquivo familiar dos músicos.

Harrison foi o primeiro músico ocidental a usar cítara numa música popular, e aprendeu a tocar o instrumento com Ravi. Eles se tornaram amigos muito próximos, e sempre estiveram juntos, até no dia da morte de George, aonde Shankar tocou para o amigo.
O concerto "Tributo a Bangladesh" nasceu de um pedido de ajuda aos flagelados que o músico indiano fez ao ex-beatle; assim nasceu o primeiro show de rock beneficente.
Acho lindo o som da cítara, mas não consigo ouvir um CD inteiro desses.
Por tanto não comprarei nenhum desses dois lançamentos, mas sei da importância documental que ambos têm.

Nenhum comentário:

Postar um comentário